quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

"Brasileiros do Reau Madri compraram casas no exterior", denuncia CCICECPD

Novo órgão promete começar investigações a todo vapor na tentativa de "reverter um complexo processo de evasão do talento, da bufunfa e do que mais os brasucas tiverem de melhor"

De alguém influente

Sem muita pompa, mas prometendo uma nova etapa nos processos investigativos, investigadores e investigatórios, a Comissão Corregedora e Inquisitora de Controle de Evasão de Craques, Pernas e Divisas iniciou suas atividades hoje (semana passada) em algum lugar nos arredores de Brasília. Sua localização, a identidade de seus integrantes, e o órgão a que esatrá subordinada são mantidos sob e sobre sigilo, mas o suposto diretor encontrou-se com o pessoal do Primeira no ICQ e falou com exclusividade. Os demais veículos noticiosos justificaram a ausência na coletiva afirmando não mais disporem de tal tecnologia.

São vários os focos da nova comissão. O principal é ampliar as investigações de brasileiros com algo suspeito no exterior. "Sabemos que os brasucas do Reau Madri andam comprando casas no exterior!!!", disse o tal, colocando uma carinha amarela brava logo após os pontos de exclamação. "E as nossas modelos estão sendo usadas como mão-de-obra em desfiles na Europa e nos States!!!", completou, inserindo uma carinha triste.

Dudda Lambança será provavelmente poupado na nova comissão. Avalia-se que seu galo já apanhou bastante, e não há mais onde bicar. Já Maulo Paluf não deve escapar. A quebra de seu sigilo telefônico fez com que o órgão abrisse várias frentes de implacável investigação. "Vários jornalistas ligaram para a casa dele!!!", disse o diretor do CCICECPD, com duas carinhas amarelas com linguinha pra fora, que poderiam ser interpretadas como "muitas horas de conversas", ou ainda como "isso vai dar um trabalho...". Outro foco será a qualidade do ensino médio. "Nossos jovens estão indo fazer o colegial lá fora!!!", indignou-se, dessa vez sem carinhas.

Um dos expoentes da oposição afirmou desconhecer as denúncias, mas depois de insistirmos para ele falar mais ou menos o de sempre, afirmou: "São novos capítulos dessa história corrompida do governo mais corrupto e corruptor da história da República". Já um líder do governo discordou mais ou menos no mesmo esquema: "Ainda não há nada concreto, mas apoiamos a investigação, tanto que pelo que me parece fomos nós que criamos esse órgão".

Nenhum comentário: