sábado, 4 de março de 2006

Lulu Alquimin lança campanha pedindo que primeira-dama seja eleita em votação independente à dos maridos do executivo

Do enviado especial à alcova da primeira-esposa

A atual primeira-dama paulista, Lulu Alquimin, resolveu desvincular sua batalha por ser a candidata tucana ao posto de primeira-mulher nacional da fratricida disputa do marido, Gerardo Alquimin, pela vaga de postulante do partido à presidência.

Lulu, que ontem inaugurou 37 obras de caridade em 26 diferentes municípios do Estado num percursso total de mais de dois mil quilômetros, acha que já chegou a hora de o Brasil dar um passo definitivo em direção à completa emancipação da mulher. "Não dá mais para a mulher brasileira continuar ascendendo social e politicamente na esteira da carreira do marido", disse às vésperas do dia internacional da mulher.

A primeira-dama ainda defendeu suas qualidades e se disse superior às demais concorrentes. "O Gerardo pode até não ter gosto, mas aposto que sou muito mais saborosa que a Cômica, mulher do Cerro. Aposto que está cheio de gente que pagaria para ver e saborear." E ela foi além: "Acho que sou um exemplo de o que a mulher brasileira quer ser: bonita, elegante, discreta, mas decisiva na vida do marido e dos filhos. Não é à toa que consegui que meu esposo se tornasse governador e que minha filha trabalhasse na boutique mais badalada do país!"

Por fim, respondendo à pergunta sobre se também defendia eleição independente para os cargos de vice, Lulu disse que não "porque todo mundo sabe que vice não serve pra nada mesmo".

2 comentários:

Ana Daltro disse...

AMEI! Sensacional, hahaha...

E pior que bem que podia eleger a senhora Lulu viu, ela ia ser a primeira primeira-dama apresentável deste país! Hehehe...

Anônimo disse...

o Alquimin tambem é corrupto