Notícias de Primeira - O melhor da Primeira Vítima :: Astronauta brasileiro é barrado em alfândega espacial com muamba :: Eimael: o fiel da balança vem para ser campeão :: Governo usa Código do Consumidor para processar deputados :: "Brasileiros do Reau Madri compraram casas no exterior", denuncia CCICECPD :: “Se Deus tivesse trabalhado no sétimo dia, o mundo não seria assim”, diz Alquimim :: Calvos Valério revela nome científico ao ser preso :: Série profissões: doleiro :: Sharon mexe a barriga, flatula e reage a "cosquinha" de repórter :: Maluf, ex-preso político, comenta sua luta contra a Ditadura :: Entre Alquimim e Cerro, FHT fica com Dra. Avanir :: Alquimim fará Operação 32 Horas no réveillon :: Polícia prende Papai Noel :: Cocales vence na Bolívia e promete aporrinhar na política externa :: Vely Fideliz, cotado para Fazenda, baixará juros com aerotrem :: BOMBA: Por que os jornalistas d’A Primeira Vítima pararam de escrever? :: Alquimim fala sobre as festas de final de ano :: Depois da Aftosa e da Maculosa, febre Cabulosa ganha adeptos mundo afora :: Gaetano Dengoso critica Lulla e diz que vai criar o PGuei :: Miego Daradona transportou dólares de Cuba para o Petê :: Cidadãos de bem comemoram vitória do "não" no referendo :: Entrevista exclusiva com ex-futuro-pré-canditado a presidente :: Bem-humorado, Pecúnio conta piadas na festança dos 50 anos :: Urucubaca ameaça desenvolvimento sustentável, diz Dudda :: Economia detona Mercado em entrevista mais do que exclusiva :: 7 razões para votar NÃO à campanha antidrogas :: A Primeira Vítima manifesta repulsa pela compra de entrevistas :: Mendigos prometem instalar ‘calçadas antiprefeito’ em São Paulo :: Polícia Faz-Geral defende bonecos após assalto à sede no RJ :: A cortina se fecha: Michael Jeffersson deixa os palcos :: Presidente Buch é o "pior desastre dos EUA" :: Justiça será processada por uso indevido da Loteria “delação premiada” :: George Bucho pretende invadir Golfo do México e Mar do Caribe :: Departamento Comercial d’A Primeira Vítima lança programa de crédito para idosos :: Gerardo Alquimim fala sobre furacão nos EUA :: Deu na mídia internacional: negros saqueiam, brancos encontram :: BOMBA: Irmã de Kernanda Farina assusta os EUA com terrorismo despropositado :: Primeira Vítima flagra atentado realizado durante atentado no Iraque :: Sezar Naya deixa prefeitura do Riu para administrar blog :: Anciã filma ações que podem revelar esquema do minimão :: O Mercado abre o jogo em entrevista exclusiva :: Pesquisa Ibop: Sylvyo Prantos é candidato favorito à Presidência :: SBP investe para ter jornalismo premiado :: As manchetes que nossos concorrentes queriam dar :: DataBolha errou: no segundo turno, Graziela do BBB derrota Robinho :: Data Bolha usou tecnologia da Nasa para prever resultado eleitoral :: “‘Lulla reeleito’ tem 13 letras”, diz presidente :: REFORMAS POLÍTICAS: Esplanada dos Ministérios é convertida em estacionamento :: Atores Blobais fazem ato pró-Binedita :: PP dava "minimão" de R$ 300 a “baixo clero” da USPi, diz Mandão :: Disseu convence: “Sou Inocêncio” :: Má notícia: aumento da expectativa de vida causa instabilidade na bolsa :: Obituário: cadela do presidente Lulla morre de desgosto :: Dasloo vendia habeas-corpus falsificado :: Polícia toma o controle do tráfico no Vidigal :: Polícia Secreta do Metrô frustra novo ataque terrorista :: Entrevista-pílula: Eloiza Elena :: Polícia britânica mata, mas não estupra :: Mais melhores
    Manchetes em destaque

domingo, 25 de janeiro de 2015

ENQUETE APV: qual o melhor papel higiênico para o seu bumbum?

Deixe sua resposta nos comentários!

OBS: esta nobre reportagem havia colocado como primeira opção um papel higiênico do grande artista Homero Ricco, mas, por algum motivo, a exibição da imagem foi censurada. Seria a volta da ditadura?



sábado, 24 de janeiro de 2015

Marqueteiro Tião Santana Quantum admite que estratégia de comunicação do Governo está equivocada


O Marqueteiro Tião Santana Quantum ganhou fama no Brasil por eleger duas vezes a Presidenta Zilma Youssef e proporcionar vitórias MAIÚSCULAS ao Partido do Traidores. Uma vez reeleita a Presidenta, Santana Quantum afastou-se do Governo e passou a dedicar-se a outros projetos de poder. Em entrevista exclusiva ao Primeira, o marqueteiro critica a atual estratégia de comunicação do Palácio da Planície, admite ter cometido equívocos na condução da última campanha e revela que a verdadeira razão de seu rompimento com o PT e com Youssef foi o fato de a Presidenta ter-se recusado a seguir seus conselhos de que ela deveria ficar calada para sempre. 


A seguir, os principais trechos da entrevista de 27 horas concedida por Santana Quantum ao repórter Zurick Spantus nas Bahamas, para onde o marqueteiro viajou para visitar um caixa eletrônico.

APV: Sr. Marqueteiro, certos líderes dos Traidores insinuaram que sua ruptura com o Governo deu-se porque o Partido concluiu que seu trabalho não passa de uma farsa...
TSQ: Bom, eu acho até engraçado que gente como os Traidores tenham coragem de chamar alguém de farsante, ainda mais sabendo que essa é justamente minha profissão. Mas já está na hora do povo brasileiro saber de uma vez por todas porque deixei o PTr. A verdade, mas a verdadeira mesmo, é que a Zilma se recusou a aceitar a melhor recomendação que eu lhe dei, logo após a eleição. E eu não aceito não como resposta. Só trabalho para quem acredita 100% nas minhas farsas e fraudes.

APV: E qual foi essa sua recomendação?
TSQ: Antes de contar, eu preciso explicar que, no meu campo profissional, não há espaço para o que as pessoas imaginam. Elas acham que nós trabalhamos com talento, intuição. Os marqueteiros bons de verdade trabalham com ciência. Gastamos fortunas com pesquisas para saber o que o povo quer ou não quer ouvir. Analisamos experiências de farsas do passado e também de outros países. Quando chegamos a indicar um caminho, é porque ele é certeiro; trata-se da melhor farsa possível. E foi isso que eu sugeri à Zilma uns meses atrás.

APV: E você não vai nos contar o que foi, homem?
TSQ: Eu disse pra ela que o certo era que ela não falasse nunca mais. Avaliando todos os cenários, tive, há alguns meses, a epifania de que a política dos discursos morreu, tal como já havia morrido antes a política do diálogo. O futuro é a Política do Silêncio. E a Zilma tem todo o talento para surfar essa onda. Todo mundo sabe que ela é uma mulher "pós-discurso". Parece uma adolescente da era dos chats, não fala uma frase inteira.

APV: E ela simplesmente se recusou a te ouvir?
TSQ: Na verdade, eu acho que fui boicotado pelos caciques tradicionais do Partido dos Traidores. Eles são gente muito conservadora. Obcecados com a política do discurso. Não entendem que isso está acabando. Que Hugo Chapolim e Fiel Castrado ficaram no passado. Até a Viuvina do Kirchner, na Argentina, já está deixando o discurso de lado, e experimentando comunicar-se só pelas redes sociais. É um sinal dos tempos.

APV: Se está tão convencido de que está certo, por que não brigou por suas ideias e enfrentou o PTr?
TSQ: Quem disse que eu não fiz isso? Quando me fecharam a porta, eu tentei entrar pela janela, meu amigo. Disseram que a Presidenta tinha que continuar se comunicando. Eu respondi: tudo bem, mas só se for exclusivamente pelo Twitter. Eles quase toparam, mas aí um deles se deu conta da minha artimanha. Ele disse: "Peraí, mas no Twitter só entram 140 caracteres!". E eu retruquei: "exatamente". E ele devolveu: "Mas a Presidenta começa todas suas frases com ´Em primeiro lugar, eu gostaria de... Oh, meu querido...´ Só isso já são quase uns 60 caracteres. Não sobra espaço para falar nada depois disso." O cara não entendeu que era justamente essa minha ideia, não deixar ela falar nada.

APV: E o que o político que não fala nada ganha?
TSQ: Tudo! Como é que vão chamar de mentiroso o cara que não disse nada? Como é que vão cobrar suas promessas? Na minha terra, tem um ditado que diz que o peixe morre é pela boca! Essa estratégia é infalível. Até um tempo atrás, a gente fazia pesquisas de opinião e apurava que as pessoas queriam ouvir coisas que os políticos profissionais não querem fazer, como governar, procurar melhorar o país etc. Aí, os caras diziam isso. E gente contava que o povo esquecia. Mas as pesquisas mais atuais revelam que uma parcela crescente da galera resolveu começar a lembrar.

APV: Quantos lembram?
TSQ: Minha última enquete indica 12%, portanto algo entre 5 e 19%, considerando a margem de erro de 7 pontos para mais ou menos. E esse numero tá aumentando. A gente imagina que em 4 anos, na próxima eleição, Já poderá estar entre 10 e 24%.

APV: E os Traidores nessa história?
TSQ: Minha opinião profissional é de que eles estão fudid...!

APV: E agora que o senhor perdeu a boquinha dos Traidores, pretende fazer o que da vida?
TSQ: Por agora, pretendo escrever um livro de memórias, plantar umas árvores, lavar um dinheiro e curtir minha família. No futuro, pretendo trabalhar pro Gerardo Aidimin. Acho que ele é um cara que sempre teve um potencial imenso para a Política do Silêncio. Tem isso instintivamente. Ganhou 44 eleições sem falar nada! E agora parece estar precisando de um conselho. Está louco! Resolveu admitir que falta água! Tá provado que o que a população de SP e do mundo não quer ouvir noticia ruim. Dos políticos, eles preferem é não ouvir nada. O cara sabe disso, mas parece que cedeu a seus instintos mais primitivos de político. Resolveu aparecer! Tem cabimento? Quando político se assanha, resolve mostrar a cara, assumir qualquer responsabilidade, é quando ele mais precisa de ajuda profissional. Tá perdido!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

ENQUETE APV: obrigado, Gerardo!

Se tivéssemos água em abundância em São Paulo, qual das piscinas abaixo você escolheria para o governador Gerardo Aidemim nadar por toda a eternidade? Deixa sua resposta nos comentários!




Governador anuncia fim do racionamento em SP

Medida inclui PPP e muita fé da galera

  Gerardo, um sujeito de fé...

... e o Inri, claro, o filho mais querido do Pai

DA HIDROMASSAGEM

Depois de exaustivos estudos, o governador, pai de família, católico praticante e homem de bem, Gerardo Aidemim (PSDBs, Partido Só Dá Bosta), anunciou nesta quinta-feira, em seu Palácio, o fim do gerenciamento hídrico paulista, conhecido honestamente como racionamento, mesmo.

“Vamos fazer uma PPP [Parceria Público na Privada] com Inri Cristinho. A ideia é simples. O Inri ressuscita o volume morto [hipotética reserva d’água] de todo o sistema de abastecimento. E fim de papo”, explicou di-da-ti-ca-men-te o governador.

Questionado pela reportagem d’A Primeira Vítima se o mais novo parceiro reunia condições psiquiátricas para a empreitada, Gerardo foi categórico. “Analisamos vários currículos que nos chegaram e concluímos que os feitos antecedentes do Cristinho o credenciam com louvor. O cara é foda.”

Aidemim frisou que sua impecável administração sempre fez bom uso das PPPs. “Não é a primeira vez que recorremos a elas. Tínhamos um belo contrato com a Mamãe Divá, mas, como ela se finou, a gente se fudeu”, sapecou Gerardo, sendo aplaudido com muito entusiasmo pelos oito assessores que o acompanhavam. “Que belíssima aliteração”, comentou um deles.

E-mail
Presente ao evento, Cristinho se disse à altura do desafio. “Deixa comigo. Já mandei um e-mail para o ‘Meu Pai’ para reservar na agenda celestial Dele um espacinho para esse tipo de milagre. Espero que a mensagem não tenha caído no spam. Oremos.”

Edil Maiscedo, grande líder religioso nacional e internacional, procurou a reportagem d’A Primeira para sinalizar sua insatisfação com o escolhido. “Porra, a gente ia fazer um precinho camarada no dízimo e esse filho da (complete aqui) do Gerardo nem quis saber da gente. Vou telefonar para o Pai.”

A Primeira tentou contato com o Pai, mas até a publicação dessa brilhante matéria não havia obtido resposta. Dentro do previsto.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

FRASES DE PRIMEIRA

"Agora entendi porque o vovô Tarcísio Naves nunca me deixou ir pra Indonésia quando eu era jovem, eles são muito rígidos com algumas coisas por lá."

SENADOR EÁCIO NAVES, repercutindo a execução do brasileiro Marco Archer na Indonésia

domingo, 18 de janeiro de 2015

EXCLUSIVO: Popstar da economia Jhonàs Piquètte é diagnosticado com esquizofrenia

O repórter especial do Primeira Zurick Spantus teve acesso exclusivo a diagnóstico do Colégio de Psicólogos da Argentina – país que é referência em doenças mentais e berço de um quarto dos psicólogos do mundo – confirmando quadro de esquizofrenia do mais novo pop-star da economia mundial, o francês Jhonàs Piquètte, autor do best-seller "A Bufunfa nos tempos atuais".

Spantus acompanha a turnê mundial do astro francês, que se encontra atualmente em Buenos Aires, para promover sua obra e confraternizar com seus fãs na Argentina.

Os psicólogos argentinos teriam começado a desconfiar da enfermidade de Piquètte após declarações contraditórias do astro à imprensa local.

Na sua chegada à capital argentina, Piquètte concedeu entrevistas a diversos jornais, metade afiliada à corrente editorial conhecida como "Nós" e 50% vinculados à linha denominada "Eles".

Para espanto dos psicólogos argentinos, as declarações de Piquètte a uma e outra corrente editorial foram diametralmente opostas. Aos diários do "Nós", o francês disse que o Ministro da Economia argentino, Dr. KissLove, "é um fofo, que cuida para que Argentina extirpe as maldades capitalistas". Na conversa com os jornais do "Eles",  por outro lado, o astro europeu surpreendeu a todos ao afirmar que o "desgoverno econômico castiga o país e que KissLove acendeu velas ao demônio da inflação".

Ao tomar conhecimento das declarações de Piquètte, o Presidente do Colégio de Psicólogos, Arturo Genial, convocou reunião do Conselho da instituição que dirige para discutir a saúde mental do popstar. Ao fim de sete minutos de deliberação do órgão colegiado, os especialistas concluíram tratar-se de um caso clássico de esquizofrenia.

Em conversa exclusiva com Spantus, Genial disse que há tempos desconfiava de Piquètte. Alegou, ainda, que "atualmente, temos aperfeiçoado o diagnóstico de esquizofrenia na Argentina graças à  valiosa contribuição dos meios do "Nós" e do "Eles", que rotineiramente expõem as contradições doentias de seus entrevistados, os quais não têm o menor pudor de dizer uma coisa a um grupo e declarar o oposto ao outro".

Genial pediu à Justiça argentina a internação de Piquètte. O juiz de plantão neste domingo, dia da partida do economista, alegou que precisaria das gravações das entrevistas de Piquètte para comprovar o que ele dissera aos órgãos de imprensa. Tanto os jornais do "Nós" como os do "Eles" recusaram-se a entregar os áudios, alegando "liberdade de imprensa" e "direito de interpretar o conteúdo das entrevistas tomadas". No fim do dia, o pop-star francês deixou o país, antes de ser resolvido o impasse judicial.

Repórteres do Primeira procuraram ouvir especialistas brasileiros sobre o caso. Curiosamente, a doença de Piquètte não causou a comoção esperada nos meios econômicos nacionais. O Diretor da PUC-RJ, Dr. João Chicago,  disse à reportagem que sempre considerou Piquètte suspeito, "com aquele papo maluco de que distribuição de renda e tributação de ricos podem gerar desenvolvimento econômico".


A Primeira Vítima de volta!!!!!!!!!!!!

Investimento internacional permite retorno do blog que fez mais sucesso entre 20 ou 30 pessoas em meados dos anos 2000

DO ENVIADO ESPECIAL AOS ESTADOS UNIDOS, COM MUITA EMOÇÃO!

Um brinde a (com crase) volta de A Primeira Vítima!
O sonho que parecia distante tornou-se realidade: com investimento da Herdalife, que busca diversificação de capital após o sucesso dos shakes e suplementos nutricionais em todo o mundo, o blog A Primeira Vítima esta de volta ao ambiente digital.

As negociações, que giraram em torno de incríveis 300 dólares, tiveram ajuda de importantes forças diplomáticas brasileiras, que se uniram desde Buenos Aires até Genebra para sensibilizar os investidores americanos. E deu certo! O CEO de APV, John Renner, chegou a chorar de emoção ao deixar o escritório da Herdalife em Nova York e conversar com nossa reportagem: "puta que pariu, caralho, porra, vai tomar no c..., tamo de volta nessa merda de internet, casseta, agora ninguém segura".

Visivelmente emocionado, Renner não entrou em detalhes sobre a linha editorial que o blog adotará, mas adiantou que a polêmica continuará sendo o fio condutor do informativo. "Zoar, ou melhor, abordar a vida cotidiana sob uma ótica de ironia e humor, sempre esteve no nosso DNA, e vamos seguir essa linha."

O antigo ombudsman de APV, Olvidio Mor Horelhans, continuará no cargo e, por telefone deixou claro que não haverá interferência na linha editorial. "A Herdalife não influenciará a nossa conduta jornalística, temos carta branca para falarmos o que quisermos. Aliás, você já tomou seu shake hoje? Recomendo o de doce de leite, hummmmmmmmm!"

A primeira reunião de pauta da nova APV deve ser realizada na segunda, quando o quadro de jornalistas e colaboradores deve ser anunciado. Além de Renner e Horelhans, outra presença já garantida e a de Oscar Alho, que retorna ao blog após passar alguns bons anos de ferias acompanhando suas bandas de forro favoritas no Nordeste, e enchendo o rabo de cachaça, lógico!

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Exclusivo: a defesa do ministro

A Primeira Vítima recebe acesso inédito à defesa de Paloqui

O ministro, mandando tomar no...

Por Olvídio Mor Horelhãns
DA CASA DO CHAPÉU

O ministro da Casa Xibio, Antonio Paloqui, já tem sua defesa pronta. Ele é acusado de aumentar em 20 vezes seu patrimônio de uma forma inexplicável em apenas quatro anos – mais ou menos como a gente fazia naquele joguinho “Banco Imobiliário”.

A Primeira Vítima teve acesso à íntegra do documento que será entregue à Procuradoria-Geral da República. “Vamos dizer que ele é o novo garoto-propaganda do ‘Minha Casa Minha Vida’”, afirmou o chefe dos advogados de defesa, Claudio Henrique Mor Horelhãns.

Vocês já repararam como A Primeira tem acesso a toda defesa que precisa ser feita por aí? Impressionante, né? Nois é foda, mesmo.

"Tá em casa"
O programa Minha Casa Minha Vida é uma parceria do governo federal com estados e municípios para produção de unidades populares às famílias com renda mensal de até R$1.395,00.

As construções são planejadas para atender confortavelmente aos brasileiros desejosos de morarem numa residência comparável ao modesto apartamento adquirido por Paloqui pela bagatela de R$ 6 milhões. “À vista, claro. Tá em casa”, detalhou a defesa.

“Imagina o que representa para uma família com ganho mensal perto de R$ 1.400 ter como exemplo o Paloqui, que conseguiu com muito suor aumentar o patrimônio 20 vezes?? Com um garoto-propaganda desses é sucesso na certa!”, enfatizou Claudio Henrique.

"Tranquilão"
Paloqui fez questão de receber a reportagem d'A Primeira na Casa Xibio. “Admiro demais o trabalho de vocês. Inspirador, eu diria”, emocionou-se o ministro. Em seguida, revelou detalhes da estratégia de defesa: fotos e vídeos dele em meio a obras em todo o Brasil.

De fato, ele fotografa bem. O desafio foi a dicção para os vídeos, problema vencido com facilidade após nove mil horas de consultas com fonoaudiólogos. “Tô tranquilão”, sintetizou o ministro depois de cruzar os depois pés em cima de sua espaçosa mesa de trabalho e recostar calmamente a cabeça no encosto da poltrona.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Pinel de Primeira: Bencinho, talk show e hot dog

O ex-presidente Lulla palestrando pra galera

Por Olvídio Mor Horelhãns
EDITOR DE PINEL

Qualificação 1. Habituados a congressos, seminários, colóquios, mesas-redondas, grupos de trabalhos e, sobretudo, de discussão, PSDBristas se movimentam para trazer o mais recente palestrante de todos os tempos: ex-presidente Lulla. “Queremos qualificar nossos quadros”, argumenta um grã-abutre.

Qualificação 2. A ciumeira está posta no ninho. Ferrando Henriquieto Caroço fez bencinho ao saber da mais nova tentativa do partido ruma à conquista da Presidência. “Nom de Dieu. Je me tue à étudier et à ces fils de putes appeler le Lulla putain! Ne le croyez pás!!”, exclamou.

Qualification 3. Crente que a reportagem não sabia nem francês, nem inglês, nem dinamarquês, nem chinês ou mesmo japonês, Caroço soltou aquela singela frase para expressar a alegria da ação dos correligionários.

Qualificação 4. A Primeira Vítima pediu, humildemente, para ele repetir palavra por palavra, pausadamente, e jogou no Google. Voilà: “Puta que pariu. Eu me mato de estudar e esses filhos da puta chamam o porra do Lulla! Não acredito nisso!!”.

Talk show. Entediando com o twitter, o futuro candidato derrotado à Presidência da República Josué Cerro mexeu pauzinhos e, pasmem, teve uma ideia brilhante: comandar um talk show. Já tem até nome “EU”. “A ideia, brilhante, diga-se, é eu me entrevistar. Será um papo interessante. As pessoas precisam me conhecer melhor”, explicou.

Hot dog. Palacianos estranharam pedido de última hora da presidente Vilma Rolex: uma depiladora. As sempre más línguas garantem que qualquer relação, “no bom sentido, é claro”, com a visita do colega norte-americano Barraco Oba é mera coincidência. O colunista não entendeu nada, mas decidiu mesmo assim publicar essa notinha porque faltava uma e pensou “vai essa mesma”.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Exclusivo: a defesa da despudorada

Estratégia é inédita no país; oposição quer ver pra quer

Jaquiéela, em bela performance no plenário

Por Olvídio Mor Horelhãns
DAS PÁGINAS AMARELAS

Assessores da despudorada federal Jaquiéela Mediz, do Putaria e Mais Nada (PMNd-DF), já têm definida defesa dela contra a acusação de corrupção. A Primeira Vítima teve acesso com exclusividade à estratégia: a parlamentar irá posar nua para uma grande revista nacional. O objetivo é contrapor um vídeo com imagens dela recebendo uma graninha de Burval Darbosa, delator do mensalão do Demônios do Brasil (DEMs).

“Quer mais transparência do que isso?”, questionou enfaticamente um assessor. “Só com Raios-X...”, conjecturou outro. “Mas aí não tem graça”, defendeu o primeiro. “É mesmo”, concordou o segundo assessor, para emendar: “Transparência total. Total. Total”.

Valendo-se da forte inspiração argumentativa, o assessor não pestanejou. “Nossa estratégia é, no mínimo, politicamente vendável”. Ao perceber uma das sobrancelhas levantada do repórter, completou: “No bom sentido, é claro”.

Oposição dura
O Conselho de Ética da Câmara dos Despudorados vai tentar notificar Mediz ainda nesta quarta-feira. Tentar. Mas a acusada está sob licença médica. A Primeira Vítima apurou que ela está fazendo uns retoquezinhos para a sessão de fotos. “Boatos de retocada são, evidentemente, mentira”, explicou o assessor do parágrafo anterior.

A oposição promete manter uma avaliação dura, caso a estratégia vingue. “Sou como São Pedro: só acredito, vendo”, filosofou um deputado evangélico que confundiu alhos com bugalhos. Quem só acreditava vendo era São Tomé, mas deixa pra lá.

“Vai depender da posição que ela assumir na revista”, ponderava outro colega da despudorada que pediu para não se identificar alegando que a esposa é ciumenta. A gente entende.

“Vamos ver se ela realmente esconde alguma coisa aqui ou ali”, gesticulou outro despudorado. Ruborizado, a reportagem evitou descrever quais lugares ele fez menção, mas você já imaginou, né?

Deflação
A Primeira Vítima, como principal noticioso do Brasil, do mundo e de Santo André e região, não poderia deixar de ouvir o outro lado. A reportagem visitou casas e apartamentos de diversas personalidades que se despiram para alegria da galera.

Sob forte anonimato, muitas delas demonstram descontentamento, revolta e uma dorzinha de cotovelo. “É uma oportunista! Ela vai deflacionar o mercado”, argumentou uma modelo antes de se vestir completamente.

“Ela não é atriz, não é modelo, não é atriz/modelo nem modelo/atriz para estar nas páginas da revista. Que absurdo! Por essas e outras que sou a favor do voto consciente”, pregou outra beldade durante a conversa na banheira.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Confetistas decretam Carnaval de 10 dias

“Ninguém resiste ao desejo", afirma José Barney

Barney, entusiasta do Carnaval de 10 dias

Por Ali Ben Al Terado
DO BAILE DO VERMELHO E PRETO

Os políticos brasileiros, sempre muito preocupados em preservar as tradições culturais de seu país, parecem ter uma criatividade sem fim. Num rompante de genialidade, decretaram o Carnaval de 10 dias. Tanto despudorados como sonadores só deverão retornar ao trabalho no próximo dia 12 de março.

A Primeira Vítima já havia antecipado essa tendência ao tratar do caso da “Serpentina Metálica”, em Baderna do Sul (MG). Na ocasião, o presidente do Sonado, José Barney, do Partido da Mordomia Distributiva Brasileira (PMDiB), admitiu que seus colegas embarcariam em massa para os estados de origem, propagando a eletrizante novidade surgida no pré-carnaval mineiro.

A medida foi recebida com muita serpentina no Confete Nacional, mas infelizmente neste caso não foi usado o mesmo material de Minas Gerais. José Barney aliviou geral, dispensando os sonadores já na quarta, 2 de março.

Mesmo sabendo que os sonadores são como carros alegóricos – que vivem dos penduricalhos – Barney garantiu que não serão descontados os dias parados. "O Carnaval no Brasil é uma tradição. Nunca ninguém resiste a esse desejo de participar", afirmou José Barney.

Contagem regressiva
Nesta quinta, 3 de março, a reportagem contou pouco mais de 10 sonadores presentes ao trabalho, que logo se evadiram, antes mesmo que fosse possível retirar os sapatos e as meias para continuar somando. Ao todo, são 81 sonadores eleitos.

Um pouco diferente, na Câmara, formou-se uma longa fila pela manhã, quando 188 despudorados compareceram para registrar o ponto e logo em seguida partir de malas prontas para a folia. Ali, há 513 despudorados eleitos.

Lideranças
Os Confetistas não precisarão se preocupar com o trânsito das estradas na volta do feriado, pois as sessões da quinta e da sexta-feira após o Carnaval estão reservadas exclusivamente para discursos, e não haverá votação. Quem não puder comparecer para contar suas proezas carnavalescas também não terá um centavo descontado ao final do mês.

O líder do Partido do Trampolim (PTr), Umberto Gosta, passou o dia preocupado em não perder o voo para o Recife, ansioso por curtir um frevo rasgado. Já o líder do governo na Câmara dos Dispudorados, Cânlido Calabrezza (PTr-SP), alegou estafa como justificativa para o recesso de 10 dias.

“Em nenhum parlamento do mundo há trabalho em feriado. Acabamos de votar umas medidas provisórias, o pessoal está merecendo umas Brahmas”, decretou Calabrezza.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Mordida do Leão Gay gera arranca-rabo

Despudorados machões prometem descer a porrada e fim da frescura

Juba rosa foi vetada pela Consultoria de Moda da Câmara

Por Ali Ben Al Terado
DA GAIOLA DAS LOUCAS

A confusão está instaurada no Com-gesso Nacional. O Despudorado Federal Arrombado Fonseca, do Partido Retrógrado do Detrito Federal (PRt-DF), está revoltado com a decisão da Receita de incluir companheiros homossexuais como dependentes na mordiscadela no lóbulo do Leão deste ano.

A Consultoria de Moda da Câmara também reprovou o leão rosáceo. Publicou uma nota técnica dizendo que o novo tom de cor da juba não combinará com os tons pastéis do cerrado brasileiro. Ambos defendem também que a frescurada toda só poderia ser autorizada quando os próprios com-gessistas decidirem sair do armário. Arrombado está juntando uma turma para dar cabo no assunto.

“A Receita não tinha o direito de passar na nossa frente. Tem colega que ainda não está pronto para esse tipo de declaração. Nós vamos domar esse leão afeminado, nem que seja na base da porrada.”

O despudorado Jeep Wyllys, do Partido Sem Óleo Lubrificante (PSOlL, está em posição oposta e de costas. Ele acha que tamanha violência não levará a lugar algum.

“O colega Arrombado está sujo na rodinha. Por trás, seu discurso e a norma técnica da Consultoria de Moda da Câmara revelam o preconceito de nossa sociedade machista. Incluir o homossexual como dependente é um grande avanço. Eu mesmo não conseguiria viver sem o meu homem”, pronunciou Wyllys em seu discurso em defesa da manutenção da atual isenção concedida aos parceiros gays.

Enquanto não se chega a um acordo sobre a validade jurídica de a Receita legislar sobre assunto tão delicado, a temperatura deve subir nas saunas e savanas de Blá-sylia.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Mictório Público pede prisão de Bebê Constantino

“Ninguém mandou mijar pra fora”, acusa a Promotoria

Tia Nastácia promete limpar as cacas de Bebê

Por Ali Ben Terado
DO SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO

Já não era sem tempo, o Mictório Público do Distrito Federal finalmente pediu a prisão preventiva do afundador da Vol Linhas Aéreas, o empresário Bebê Constantino. A medida atropela a indecisão da Justiça, que fazia vistas grossas às picardias de Bebê.

Além de não levantar a tampa ao usar o vaso e esquecer-se de dar descargas, Constantino também é acusado de atrapalhar as investigações do processo que corre contra o empresário por assassinato, afirma o promotor José Pimenta No Dos Outros Neto.

No Dos Outros diz que Bebê é o responsável pelo atentado contra o ex-funcionário João Marques do Capeta, matador profissional que deveria depor em 1º de março, no Fórum de Tangatinta (DF).

Capeta admitiu ter mandado – sem escalas – oito desafetos do ex-patrão para a outra vida, em anos de trabalhos sujos prestados, e estava disposto a confirmar tudo de pés juntos. Em 18 de fevereiro último, Capeta levou três tiros na porta de sua casa, porém sobreviveu para dedurar o malfeitor.

Bebê Constantino nega as acusações. “Se tivesse a minha mão nisso, esse Capeta teria morrido voando”, disse o empresário com a firmeza de quem tem larga experiência em eliminar a concorrência. Tia Nastácia saiu em defesa do pupilo. Afirmou estar disposta a limpar qualquer sujeira que Bebê possa ter deixado para trás.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Pré-carnaval de Minas eletriza foliões pelo Brasil

“É o fim do trio elétrico”, profetiza governador Anestesia

Foliões tomam as ruas de Baderna do Sul, MG

Por Ali Ben Al Terado
DO PS

O grito de carnaval da pequena Baderna do Sul pôde ser ouvido até na cidade vizinha de Poços em Caldas, a 24 km de distância. Embalados pela “Serpentina Metálica”, os foliões saíram do chão e pularam em ritmo eletrizante. Empolgado com a novidade, o governador de Minas Gerais, Antônio Anestesia, acredita que o exemplo local tomará dimensões nacionais.

“O pessoal está pulando até as cinzas. O carnaval está no DNA do povo mineiro. Afinal, mineiro é o baiano que a caminho de São Paulo resolveu parar e descansar. A energia que estamos passando é tão contagiante que o antigo modelo de trio elétrico está com seus dias contados”, proferizou Anestesia.

Blá-zylia
O Sonado Federal já embarcou na folia e promete trabalhar somente até esta terça-feira. “Na quarta, dificilmente alguém será encontrado. Os nobres colegas estarão a caminho de suas bases, para ensinar a ‘Serpentina Metálica’ aos foliões de todo o país”, prevê o presidente do Sonado, José Barney, do Partido do Movimento das Distrações do Brasil (PMDiB).

Bahia
O músico Caetano Manhoso deve apresentar ainda esta semana seu hit para carnaval baiano de 2011. Ele disse não poder mostrar a música antes de seu lançamento oficial, mas acredita que será um sucesso estrondoso.

Atendendo gentilmente a um pedido da reportagem, ele adiantou o primeiro verso para a reportagem. “Atrás da Serpentina Metálica só não vai quem já morreu”, cantarolou Manhoso.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Amazonico arrasa em stand-up

Futuro ex-prefeito de Manaus leva povo ao delírio

Amazonico recebe calor humano das fãs após brilhante apresentação

Por Olvídio Mor Horelhãns
DE GUARDA-CHUVA

O futuro ex-prefeito de Manaus, Amazonico Mente, do Partido da Trapalhada do Brasil (PTBr), repaginou antiga estratégia política já de olho nas próximas eleições, em 2012. “Essa história de pão e circo sempre me chamou a atenção. Eu já oferecia o pão, mas, confesso, faltava o circo. Assumi meu lado artístico. Estou lançando meu stand-up. Quero fazer todo o mundo morrer de rir!”, explicou.

A pedido de A Primeira Vítima, o político fez uma apresentação-relâmpago em uma área de risco atingida por deslizamentos de terra após fortes chuvas na capital amazônica. No local, morreram uma mulher e duas crianças soterrados em um barraco. Uma das mais brilhantes atuações de Amazonico já pode ser conferida aqui, neste linkzinho, com direito a replay.

“Vocês prometem que colocam o vídeo no ar? Garanto que a já audiência elevadíssima do portal de notícias mais importante do Brasil, do Mundo e..., e... – como é que aquele rapaz fala, mesmo? Ah, já sei – e de Santo André e região subirá ainda mais”, solicitou, humildemente, o político. “Claro. Se o senhor caprichar, com o maior prazer”, sinalizou a reportagem.

Não deu outra. Em segundos, tornou-se sucesso nacional.

Povo ao delírio
Amazonico chegou apavorando. Primeiro, convocou os moradores que, após notarem sua presença, abandonaram as moradias precárias, formando um aglomerado diante dele. Depois, foi uma piada atrás da outra. “Vocês merecem casas melhores!”“Estamos aqui para ajudar no que for preciso!!” “Contem com a minha solidariedade!!!” “A prefeitura está à disposição de vocês!!!!”.

O povo foi ao delírio. A quilômetros dos deslizamentos era possível ouvir as gargalhadas. “Sucesso total”, sussurrou o comediante, para emendar: “Tá anotando aí, né?”.

A reportagem limitou-se a fazer um sinal de positivo com a cabeça, para total agrado da assessoria do trapalhista.

Apuradíssimo
A Primeira Vítima conferiu de perto o sucesso instantâneo de Amazonico. Ao final da apresentação, uma senhora aproximou-se para pedir autógrafo. Visivelmente emocionada, ela disse: “O senhor quer a nossa ajuda como, prefeito?”.

Mente não perdeu a deixa: “Não fazendo casa onde não se deve”. A fã continuou: “Nós estamos morando aqui, prefeito, porque não temos condições de ter uma moradia digna”. Ele, com seu senso de oportunidade apuradíssimo, mandou: “Então, morra, morra”. Assessores caíram duro.

Empolgado com o sucesso, o futuro ex-prefeito gravou outra apresentação com exclusividade para A Primeira Vítima. “Prefeito, o senhor é assunto no país inteiro”, informou a reportagem. “Depois que eu apareci [sic] no Primeira Vítima?”, duvidou. “Sim!!”, relatou o repórter. “Tá explicado”, arrematou o comediante.

Pioneirismo duvidoso
O cientista político Cleobaldo Mor Horelhãns levanta dúvidas sobre o pioneirismo do prefeito. “Ok, os brasileiros estamos acostumados com a política do pão e circo. Mas esse protagonismo circense não é propriamente uma novidade no cenário nacional”, tascou.

A oposição promete reagir com energia, disposição e entusiasmo. Vereadores já articulam uma sessão extra em que cada um deles apresentará esquetes na Câmara Sensacional. “O talento do poder executivo não é nada perto do que há no legislativo. Nosso trabalho tem de ser reconhecido e valorizado pela população”, desafiou um inflamado vereador que fez questão de se identificar, mas a reportagem não admitiu esse tipo de palhaçada.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

“Bruna Programinha” estreia nos cinemas

Um puta filme, de uma puta escritora, exalta a crítica

Al Terado e sua senhora conferem o set de gravação

Por Ali Ben Al Terado
DO DRIVE-IN

Entra em cartaz esta semana nas principais salas especializadas do país o longa “Bruna Programinha”. Baseado em livro homônimo de Raquel Pasecco, o filme arrancou elogios da crítica na pré-estreia.

"É um bom sinal. O público do cinema nacional não pode parar de crescer", afirmou o diretor do longa-metragem Mar-cus Bandido, enquanto distribuía pílulas azuis aos convidados.

Escolhida a dedo, a mera-atriz Deborah Molhadinha viveu na tela o que Bruna Programinha experimentou na cama e deixou toda a platéia em pé. "Um puta filme, baseado na obra de uma puta escritora", disparou o crítico e cineasta Arnaldo Jebão, logo após a exibição.

Apesar do sucesso, a verdadeira Bruna não demonstrou muito entusiasmo com a obra e declarou já ter engolido coisas piores.

Para evitar pirataria, os cafetões do filme distribuíram as mais de 300 cópias pelo Brasil com um nome falso: “A Noviça Rebelde”.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Brazyl terá novo policiamento poliglota

Zilma adverte: "lugar de cachorro é no quintal"

Patrulha faz ronda no Palácio do Blá-nalto, em Brazílya

Por Ali Ben Al Terado
DETRÁS DO POSTE

A Cãolícia Federal anunciou a importação de mais de 100 pastores belgas para uso durante a Copa no Brasil em 2014. Um trem da alegria parte ainda esta semana para o exterior com o objetivo de adquirir os primeiros animais.

Cada “au-au” custará 10 mil reais aos cofres públicos, sem levar em conta os gastos com banho, tosa e ração. Os animais já virão treinados para deitar, rolar e fingir de morto, além de latir em inglês, francês e italiano. Linguístas da oposição de orelhas em pé reclamam de “estrangeirismos desnecessários”.

Passada a Copa, a idéia é que o exército canino atenda à Presidência da Rês-Pública, copiando o modelo norte-americano que usa os “pets” para apanhar os chinelos e o jornal do presidente Barraco Abana.

Mas a presidenta Zilma, contrária à importação não tributada de hábitos culturais, já avisou que “lugar de cachorro é no quintal”. Fontes do Blá-nalto garantem que os bichinhos dificilmente passarão da cozinha.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Operação Guilhotina

Artigo de estreia de colaborador corta fundo em questões nacionais

Por Ali Ben Al Terado

Dizem que meu povo é bárbaro, que acariciamos nossos camelos e espancamos as mulheres. Mas e no Brasil? Por aqui: “Operação Guilhotina”, instrumento muito em uso entre a realeza europeia de séculos atrás. É o país sempre importando moda e sempre atrasado!

Ministério Público e Polícia Federal juntos para prenderem policiais que cometeram os crimes de quadrilha armada, peculato, corrupção passiva, comércio ilegal de arma de fogo, extorsão qualificada...

Entre as denúncias está a prática de “espólio de guerra” – que nada mais é do que a polícia roubar da própria polícia armas, munição e drogas apreendidas em operações nas comunidades do Rio de Janeiro para depois vendar a mercadoria de volta aos traficantes.

Há também a prática de “milícia”. A polícia cansa da brincadeira, expulsa os traficantes das comunidades e passa a cobrar diretamente da população pelo direito de existir. Taxa a manutenção do serviço de transporte clandestino, o serviço de segurança privada (isto é, o direito de não ser barbarizado) e a distribuição de água e gás, além do criativo gatonet – peculiar modalidade de venda de sinal surrupiado de empresas de TV a cabo.

Como se não bastasse o desrespeito às leis do Corão e também a alguns artigos do Código Penal Brasileiro, os infiéis servidores públicos agiram inclusive na favela Roquete Pinto - pai da radiodifusão no Brasil, homem que acreditava no rádio como auxiliar na educação de um povo.

Ninguém merece uma notícia dessas. Por Allah, ainda é pior que os mukhabarat. É hoje que eu não me aguento e desço a mão no detonador.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Colaborador de Primeira

A Central A Primeira Vítima de Produções orgulhosamente anuncia seu mais novo colaborador. Trata-se de Ali Ben Al Terado, correspondente sírio em terras brasileiras para o tablóide jihadista Shakeena. Agora também, rabiscador deste noticioso.

Apesar de anos vivendo nos trópicos, vive se surpreendendo com nossa realidade, fato que costuma deixá-lo a ponto de explodir.

Espírito indignado, anda sempre com uma notícia-bomba debaixo do braço, prática que traz alguns probleminhas para ele em meio a portas giratórias e poderosos de plantão.

Al Terado participará com artigos e reportagens especiais. Sem fanatismos, é claro.

Al Terado e uma de suas fontes no Saara, centro do RJ

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Lentinho de Paulada promete esquentar notas frias

Método conquistou grande êxito em outras oportunidades

Lentinho esquentando importante repórter brasileiro
DA COHABy LOCAL

O vereador paulistano Lentinho de Paulada, do Partido da COHABy do Brasil (PC do Br), promete esquentar suas supostas notas frias com um método que já o consagrou. "A chapa vai esquentar pro lado dessas notas aí. Elas vão entrar na porrada. Vão ficar com a orelha quente, pra criar vergonha na cara!", enfatizou o político.

Paulada é acusado de apresentar notas fiscais frias - quase congeladas, mesmo - na prestação de contas da Câmara dos Enroladores de São Paulo. Os endereços das empresas citadas nos documentos existem pelo menos no papel. "Pelo menos", explica o músico-apresentador-boxear.

Ele já lançou mão do método - com sucesso - para esquentar não só a orelha, mas o olho, o queixo e o que mais lhe aparecesse pela frente. "Mano, essa patifaria de nota fria não cola comigo. Eu colo o brinco mesmo!!", murmurou o apresentador-boxear-músico.

Lentinho se diz tristinho com as falsas acusações. "Isso aborrece. Mas a gente tem de ver o lado positivo: vou bater com mais raiva ainda", esclareceu o boxear-músico-apresentador.

A reportagem d'A Primeira Vítima apurou que o político está em plena forma. Em exatos cinco segundos, ele quebrou dois dentes e acertou o olho direito do repórter durante intermináveis oito segundos de entrevista. "Vaza, mano", despediu-se gentilmente.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Exclusivo: A defesa do deputado do castelo

A Primeira Vítima tem acesso com exclusividade à integra da defesa

Edmais Bobeira, durante momento de profunda reflexão


Por Olvídio Mor Horelhãns
DO CARTÓRIO DE NOTAS

Atender a base, fomentar a cultura nacional e melhorar o nível da comunicação no país. Eis os três pilares da defesa do deputado Edmais Bobeira (ex-Demô e atualmente sem partido, mas com lenço e documentos para provar definitivamente sua inocência). A Primeira Vítima teve acesso com exclusividade à íntegra da defesa.

A Corregedoria da Câmara dos Despudorados notificou Bobeira na terça-feira para prestar esclarecimentos. Ele esteve ausente por quase um mês. Os documentos serão apresentados ainda essa semana ao órgão. Se os argumentos forem aceitos, Edmais mantém o cargo. Caso contrário, tchau.

“A argumentação é simples. É público e notório que os parlamentares estão encastelados em Brasília. Ninguém mais toma conhecimento do que acontece no Brasil. Já o Bobeira, que não é bobo nem nada, decidiu construir um castelo na sua base justamente para melhor atender seus eleitores. Não há nada de errado nisso”, explica o advogado do deputado, Papus Furado, do escritório Enrolamos como Podemos & Associados.

Com relação ao fomento à cultura, o Furado diz que as dependências do estabelecimento seriam utilizadas por uma emissora educativa para produzir um seriado de grande sucesso. “Não íamos cobrar nada por isso. A satisfação é nossa em receber artistas no local.” A Primeira Vítima apurou que o pessoal do Castelo Ra-Tim-Bum não tem nada a ver com isso.

Por fim, a defesa alega que o deputado iria oferecer o castelo às mais variadas revistas de celebridades. “O objetivo era ampliar o leque de opções para produções de material jornalístico com famosos em um ambiente original”, conta Furado. “Uma revista com a maior Caras de Pau fez uma excelente oferta. Estamos estudando ainda.”

Cortina

Já no finalzinho da entrevista com o advogado de Bobeira, o nobre deputado saiu detrás das cortinas do escritório para dar uma palavrinha à Primeira Vítima. “Sou fã de vocês. Não poderia deixar de prestigiar”, diz, visivelmente emocionado.

“Anota aí: como sou o único parlamentar que já atendeu totalmente a base, resolvi vender o castelo, oras, bolas. É o mínimo que um político correto deve fazer. Detesto clientelismo. Anotou? Ok. Ah, e tem mais: sou inocente e não vou perder o meu mandato.”

Um assessor, que ganhara milhares de fio de cabelos brancos em poucas semanas e que acompanhava o parlamentar atrás das cortinas, sorri e faz sinal de positivo para o patrão.

Bobeira se empolga. “Não me deixem só.” O assessor bate com a mão na cara e sinaliza que a entrevista deve ser encerrada imediatamente, o que a reportagem entende e acata prontamente. “Porra, ele tava indo tão bem. E manda uma dessa. Eu já orientei que essa não pega bem, mas ele insiste.”

O castelo

A vida de Edmais Bobeira ficou de pernas para o ar após eleger-se decentemente segundo-vice-presidente da Câmara dos Despudorados. De brinde, também recebeu o cargo de corregedor da Casa. Ele, então, seria o responsável por zelar pela ética, a moral e os bons costumes de seus pares.

Porém, uma singela denúncia fodeu tudo. Bobeira colocara à venda um castelo com torres de até oito andares e 36 suítes pela bagatela de R$ 25 milhões. Com traços europeus, a construção está localizada São João Nepomuceno, no interior de Minas Gerais, base eleitoral do ainda deputado. A mancada é que ele declarou à Justiça Eleitoral possuir apenas uma casa e um terreno avaliados em R$ 17,5 mil.

Posteriormente, a galera ficou sabendo ainda que ele também responde por fraudes e mais fraudes contra o INSS.

Em 2007, o Ministério do Respeitável Público Federal ofereceu denúncia (acusou formalmente), na moral, o deputado por apropriação ilegal contribuições ao INSS feitas por seus empregados em uma empresa de vigilância. A mesma empresa ainda não pagou um empréstimo de R$ 1,9 milhão ao Banco do Brasil Brasileiro.

A reportagem acha que ele nega os crimes. Acha.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Pinel de Primeira: Aquilo roxo!!

O novo presidente, por ora, da Comissão



O ovo de serpente. “Ele não me convidou para uma pelada naquele maravilhoso gramado, então eu resolvi cagueta mesmo”, disse um ressentido colega do então diretor do Senado, Agraciado Mais, que deixou o cargo após denúncias de ocultamento de uma mansão avaliada em R$ 5 milhões, com piscina em forma de taça e um campo de futebol de fazer inveja a muito clube grande do país.

Fenomenal. Um seleto grupo de parlamentares jantava em um não menos seleto restaurante de Brasília quando um deles resolveu filosofar diante da estreia de Romualdo, o Fenômeno, com a camisa, shorts, e meião do Curintchia nesta quarta-fera. “Ele é que nem a gente: pode dar a bosta que for que sempre tá de volta.” Os presentes brindaram com vinho importante a frase do dia.

Super Sincero 1. Na tentativa de melhorar a imagem, a ministra Vilma Duchef (Casa da Mãe Joana) se valeu de um rearranjo estético facial. Após as obras, ela colheu diversos comentários a respeito. Um deles, porém, a marcou. “O que você achou”, perguntou a um assessor. “Ficou quase horrível.” “Quase?”, surpreendeu-se, para perguntar novamente, “e como era antes?”. “Muito horrível”, disparou o ex-assessor.

Super Sincero 2. Atento às movimentações estéticas da ministra da Casa da Mão Joana, Vilma Duchef, sua principal rival para 2010, o governador de São Paulo, Josué Cerro, deu uma escapadinha até uma clínica a fim de descobrir suas reais chances de melhorias faciais. Respaldado pelos seus 30 anos de atuação, o cirurgião foi direto: “Não há dinheiro que dê jeito nisso”.

Data venia Gianecchini. O presidente do Supra-Sumo Tribunal que Fode (STF), Guiomar Mente, está arrancando suspiros de muitas funcionárias da Corte. Várias não escondem mais o sex appeal que o lindão desperta nelas em suas aparições na TV. “Eu adoro quando ele faz o estilo vesguinho durante as entrevistas. Dá uma vontade louca de morder aquela bochechinha sexy”, sussurrou uma delas.

Recordar é viver. O ex-presidente e atual senador Ferrando Cobra de Mello (PTrB-CE) saiu-se com essa assim que soube do resultado da votação que o consagrou presidente da Comissão de Infraestrutura da Casa. A disputa foi acirrada. Ele venceu por 13 a 10 a petista Idaí Save-se-Quem-Puder. “Eles se esqueceram que continuo tendo aquilo roxo”, afirmou, sacolejando o referido collorido.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Pinel de Primeira: Propostas radicais

Eleições para Câmara e Senado empolgam parlamentares

Por Olvídio Mor Horelhãns

Em Brasília não se fala em outra coisa: eleições. No caso, às presidências da Câmara e do Senado. No exercício pleno do acesso democrático aos meios de comunicação, A Primeira Vítima abre espaço aos quatro postulantes à presidência da Câmara e aos dois à do Senado a fim de divulgarem propostas e debaterem ideias (sim, a palavra é sem acento graças à porra do Novo Acordo Ortográfico).

Por uma questão de transparência, o noticioso informa que cobrou o preço de tabela. O desgraçado que não depositar a participação democrática até o final do expediente bancário de hoje será contemplado com singelas materinhas de denúncias e mais denúncias já a partir de amanhã. Simples assim.

Alto Consuelo (PC do B, do C e também do D-SP) – “Vou instalar o ‘presidente por um dia’ aqui na Câmara. É um programa para acomodar aliados. Foi muito legal quando o presidente Luiz Lulla fez isso comigo. Quero que os colegas experimentem a mesma emoção que eu já senti. Inesquecível, mesmo.”

Michael Treme (PMDoB-SP) – “Temendo as ameaças da patroa, prometo - sem deixar de manifestar o contragosto - limitar o número amantes por parlamentar. Precisamos ter mais energia às votações. A medida é pra sossegar o facho dos meus colegas. Tá demais.”

Osmar Serr’alho (PMDoB-PR) – “Para marcar posição contrária ao meu colega de partido, o nobre deputado Treme, vou criar o ‘auxílio viagra’ para injetar ainda mais ânimo nos colegas. Devemos liberal geral, de modo que o parlamentar possa gozar muuuuuuuuuuuuuito... o mandato na sua plenitude.”

Ciro Bobeira (PqP-PI, é isso mesmo que você pensou) – “Sou um moralizador, como a sociedade deseja. Criarei um índice de produtividade de atuação parlamentar, o IPAP. É simples: o deputado que afirmar que pensou em pensar um projeto de lei recebe 10% a mais no salário. Já aquele que pensar em algo, o índice dobrará.”

Garibaldo Aves (PMDoB-RN) – “Na busca pela minha legítima reeleição, quero dizer que irei defender o Senado com todas as minhas forças. Todas. Nenhum colega meu será devidamente esculachado pela imprensa impunemente. Jamais. Reagiremos com vigor a toda verdade publicada, doa a quem doer! (gosto de encerrar assim as minhas falas...)”

Tião Sacana (PTr-AC) – “Lutarei pela autonomia do Senado. Não devemos estar a reboque das medidas provisórias que vêm do Palácio do Planalto. Somos homens honrados, que conquistamos a duras penas nosso mandato. Mando um recado direto e firme ao presidente, como prova de minha total autonomia: Lulla, você é um bobão, comedor de sabão.”

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Exclusivo: Tapioca foi superfaturada

A Primeira Vítima revela detalhes da armação

No detalhe, a prova completa e acabada do crime: a tapioca

DO ENVIADO ESPECIAL

Esfomeada e com muita água na boca, a reportagem de A Primeira Vítima visitou o estabelecimento em que o ministro do Ex-sorte, Gastando Silva, adquiriu – sem licitação – e depois consumiu uma tapioca por R$ 8,30. Constatou-se que se trata de uma fraude.

O método investigativo foi simples. O repórter adentrou ao local com cara de quem não queria nada. Avaliou as instalações e sentou-se na melhor mesa. Em seguida, o garçom se aproximou, em seu primeiro dia de trabalho. “Bom dia. O senhor já escolheu?”

O repórter percebe a manobra de intimidação, mas não se intimida. “São 12h01. Portanto, é boa tarde que se fala!” O garçom sente o golpe. “O senhor tem razão...” E tenta contornar a situação valendo-se de um belo clichê. “Aliás, o freguês tem sempre razão!” O repórter se anima. Sente que é o senhor da situação.

E mais: percebe que sua linha investigatória está no caminho certo. Prossegue. “Qual é a especialidade da casa?” O sujeito, totalmente dominado, é categórico. “Tapioca.” O repórter mantém a serenidade facial, mas vibra por dentro. “Vou querer degustar uma delas.” (Utilizar o “por favor” no começo da frase nem pensar.)

Minutos depois, chega a iguaria. Uma delícia. O garçom pergunta. “Satisfeito, senhor?” O repórter percebe a nova manobra para tentar tirá-lo do foco da investigação e comenta: “Razoável”. O garçom demonstra novo abatimento.

O repórter, confiante, pede a conta. “Por favor, senhor, pode se dirigir ao caixa.” Desconfiado, a reportagem mantém a serenidade. Para completar sua investigação, utiliza o mesmo expediente do ministro: apresenta um cartão para pagar a conta.

“São oito reais”, diz o rapaz que está no caixa. O repórter identifica imediatamente a fraude. O ministro superfaturara o produto em 30 centavos. Perfeito. “Débito ou crédito?” “Débito.” “O senhor poderia me fazer uma notinha?” “Claro.” O procedimento leva 20 segundos. O instinto jornalístico fala mais alto. “Rápido, não?” “Eu sempre forneço nota fiscal. Tô acostumando.”

Já entrosado com o dono do estabelecimento, comenta: “Esteve aqui um senhor [descreve fisicamente o ministro], nem alto nem baixo, nem gordo nem magro, essas coisas. Ele é meu amigo e me disse que pagou R$ 8,30 pela tapioca.” E questiona: “O preço abaixou?”.

“Não, ele deve ter pedido para eu acrescentar os trinta centavos na nota.” O repórter delira por dentro, mas fica com cara de paisagem por fora. (Neste instante, ele pensa na promoção, prometida há 12 anos.) Despede-se, e ao chegar à esquina dá aquele famoso salto, batendo os dois calcanhares no ar.

Adentra à redação, radiante. Senta-se e senta o dedo no teclado. A matéria está pronta em 18 segundos, com título, linha fina, fotos, infográficos, especialistas ouvidos, com sabia mais, menos ou tanto faz. “Falta ouvir o outro lado”, lembra um desgraçado de um estagiário. “Putz, é mesmo.”

A reportagem liga para a assessoria do ministro torcendo para não atenderem. Atendem. Ele narra o que descobriu. “É bombástico”, finaliza. Assessores se agitam. Dois minutos depois, o ministro, pessoalmente, é quem fala com ele: “Por favor, não publique. Só quis ajudar o estabelecimento.”

Impassível, o repórter manda essa: “Já era. Perdeu. Perdeu.”. E publica, feliz, mais uma de suas tantas reportagens investigativas. Resultado final: o garçom foi demitido; no horizonte não há nem sombra da promoção; e o ministro continua firme e forte porque ninguém lê a porra deste blog, ops, portal de notícias.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Ex-ministra será garota-propaganda de cartões

Sugestão partiu de assessores; "sem mágoas", diz a distinta

A ex-ministra, após assinar o contrato

DAS ILHAS JERSEY

Em sinal de total desprendimento, a ex-ministra Foimal Tilde aceitou prontamente convite para ser a mais nova garota-propaganda de uma rede de cartões de crédito (essa mesmo que cê tá pensando). O contrato foi assinado na sede oficial do conglomerado de A Primeira Vítima, nas Ilhas Jersey, badalado endereço no Canal da Mancha.

A Primeira teve acesso exclusivo ao roteiro do comercial. “Uma voz diz: Compras em free shop [a câmera mostra a distinta efetuando a aquisição com o cartão entre dois dedinhos da mão esquerda]: R$ 461,16; Jantares e almoços em restaurantes finos [close no cartão; a câmera recua lentamente em panorâmica do local onde a distinta está se empanturrando]: R$ 5.000; Aluguéis de carro [com os cabelos esvoaçantes, a distinta guia um belo conversível em uma paisagem paradisíaca]: R$ 110.000 mil; perder uma boquinha no governo [close nos olhos marejados da distinta]: tem um preço... Para todas as outras, cartões corporativos neles! [fim do reclame]”.

Tilde nega boatos de que a contratação tem sido tão-somente pela sua beleza. “As pessoas acham que sou apenas mais um corpinho. Esquecem-se do meu talento, que, até onde corresponde a soma, chega a R$ 171 mil neste ano”, rebateu a ex-ministra.

A reportagem apurou que a indicação para a nova função partiu de seus assessores. Os mesmos que ela apontou como responsáveis pela sua saída do governo, por não a terem orientado sobre o uso do cartão corporativo, o que causou o desligamento. Francamente...

“Não sou de guardar mágoas. O pessoal foi sempre muito gente fina comigo. Nas nossas baladas, eles sempre me diziam, bêbados, ‘a senhora é da hora!’”, confidenciou Tilde.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Crise mundial afetará Brasil, dizem analistas

A Primeira Vítima ouviu os principais nome da economia nacional

DA REPORTAGEM SENSACIONAL

A forte crise nos mercados internacionais deflagrada nesta segunda-feira (21) gera incertezas no Brasil. Para afastar-se das declarações oficiais – dever do jornalismo descompromissado, competente e sério –, A Primeira Vítima ouviu outras fontes na tentativa traçar um quadro sobre o futuro da nação. Os analistas divergem sobre conseqüências para o país.

“A queda do preço das commodities – como petróleo e ferro – deve afetar nossa balança comercial, reduzindo nosso superávit. Por outro lado, com a entrada de investimentos externos, o dólar deve cair, prejudicando ainda mais as exportações”, prevê Maria da Silva, 73, vendedora de amendoins no centro de São Paulo.

“A turbulência estadunidense está diretamente relacionada ao subprime [hipotecas de alto risco], o que deve desencadear uma readequação no mercado de crédito imobiliário, reduzindo a liquidez”, ponderou José Antônio da Silva, 48, porteiro na região da Itaquera, zona leste paulistana.

“A China é o país com maior número de ativos nos EUA, cujo consumo representa cerca de 70% PIB. Se esse consumo cai, os ativos se depreciam. Com isso, a China se enfraquece. O Brasil, por sua vez, sofrerá também, pois mantém estreita relação comercial com o país asiático. Portanto, precisamos rever imediatamente nossa estratégia internacional de vendas concentradas”, analisa João Carlos da Silva, 35, cobrador de ônibus.

“Todos aqui lembram dos dois principais erros de Alan Greenspan, que presidiu o Fed [O Banco Central norte-americano] por 18 anos. O primeiro foi não regular o mercado de hipotecas. O segundo, e mais cruel, foi o corte acentuado da taxas de juros americanos, dando a impressão de que a inflação havia recuado. Mô mancada, meu!”, descreve Ailton da Silva, 29, camelô na Praça da Sé, no centro.

“O resultado prático é o ‘moral hazard’ [Com ‘z’, seu animal! – explicando ao repórter com se grafa a palavra.], que é o risco moral de salvar investidores e instituições que se arriscaram em excesso no mercado de capitais norte-americano. Essa é, digamos, a herança maldita recebida pelo Ben Bernarke, atual presidente do Fed”, completou Antônio da Silva, 43, colega de Airton na Praça da Sé.

“O mercado interno está aquecido. Isso garante certa autonomia para as finanças nacionais, mas pode gerar pressão inflacionária. Para manter a meta de inflação, em torno de 4,5%, o Banco Central pode rever a política de taxas de juros, com um aumento de 0,75 ponto percentual já na próxima reunião do Copom [Comitê de Política Monetária], o que seria uma surpresa para o mercado interno, que prevê elevação máxima de 0,5 ponto, caso se mantenha esse cenário”, detalha Cleomar da Silva, 33, mecânico de autos.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Planalto baixa pacote econômico

Cortes chegam a 20%; oposição demonstra receio

A filhota do ministro apóia as medidas do pai

O pai da filhota

DA REPORTAGEM LOCAL

Preocupadíssimo com a economia, o Planalto Central estabeleceu uma série de medidas para conter gastos. Trata-se de uma reengenharia administrativa para compensar as perdas com a não-aprovação da CPMF (Contribuição Para Mais Fanfarra).

O ministro econômico Pão Comântega detalhou com exclusividade à Primeira Vítima as principais ações. Uma delas é a diminuição de cinco para quatro gotas de adoçante no cafezinho da rapaziada. “Só aí teremos uma redução de 20%”, exaltou o ministro.

Outra ótima medida é a exigência de se fechar a porta em recinto com ar condicionado. “Embora seja extremamente agradável receber aquele arzinho gelado quando a gente passa diante de uma porta, isso de tem mudar”, ponderou Comântega.

O Planalto também exigirá que se apague a luz depois do fim do expediente. “O pessoal passa em frente ao Palácio ou à Esplanada e acha que a galera está trabalhando até tarde. Magina. Eles pensam que a gente é workaholic?”, indignou-se.

A área administrativa também contribuirá para a contenção de gastos. O uso dos post-it, por exemplo, será racionalizado. “As duas faces do papelzito deverão ser utilizadas”, ressaltou Pão. A Primeira Vítima questionou se essa medida se estenderia à utilização do papel higiênico. O ministro foi enfático: “Num força!”.

Oposição temerosa
A oposição demonstrou receio com as medidas. O temor é de que elas sejam adotadas nos outros três poderes: Legislativo, Judiciário e Midiático. “Os poderes são independentes entre si... [É isso mesmo, né? perguntou a um assessor, que confirmou]. Então, não tem essa”, expressou-se Artur Virgulino (PSDBr-AM).

Já as entidades mais importantes deste país manifestaram apreço pelo pacote. “O governo dá o exemplo. É isso que queríamos”, bocejou Paul Stafa, presidente da Fiespi (Federação das Infantilidades de São Paulo e Interior).

A CNId (Confederação Nacional dos Idiotas) também ressaltou as medidas. “O governo dá o exemplo. É isso que queríamos”, afirmou o presidente da entidade que não quis se identificar. A CUTr (Central Única dos Truta) foi na mesma direção: “O governo dá o exemplo. É isso que queríamos”, acrescentou um dirigente.

Apoio familiar
O ministro econômico recebeu importante apoio ao anunciar as medidas. A filhota, atriz e modelo Mary Comântega decidiu cortar o números de peças de roupa que utiliza no dia-a-dia. “A família é a base da sociedade, e devemos apoiar nossos pais”, filosofou.

Outro lado
A Primeira Vítima nega veementemente que faça uso de imagens sensuais para aumentar a já elevada audiência do noticioso. O primeiro lugar em acesso deve-se tão-somente ao fazer jornalístico de seus abnegados profissionais.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Pinel de Primeira: Reforço estético

Robão Filho, durante aproximação política


Por Olvídio Mor Horelhãns

Filho de peixe 1. Futuro ex-ministro das Mina$ e Alegrias, Edyson Robão é só sorriso em Brasília. Não, não. Não é por causa da nomeação. O orgulho vem de seu rebento, Robão Filho, que em poucas semanas povoou as mais diversas manchetes. “Você verão quando ele assumir... a vaga no Senado”, comenta.

Filho de peixe 2. O herdeiro é o mais novo reforço estético da Casa. Isso, por outro lado, está suscitando ciuminhos em futuros colegas, sobretudo nos mais caidões. “Desse jeito, ele vai inflacionar o mercado de acompanhantes, pois, pra encarar a gente, elas vão pedir mais”, lamenta um parlamentar.

Serviço. Diretores d'A Primeira Vítima lançarão na próxima semana mais um serviço de ponta. O noticioso venderá, a preço de tabela, material midiático – como textos, vídeos e sonoras – aos colegas de todo o mundo. A classe agradece. Agora, será possível dedicar mais tempo ao msn e ao orkut.

Política redonda 1. Transbordando criatividade, a TV Pública promete mais uma das suas. Criará no segundo semestre uma mesa-redonda – no melhor estilo botequim lotado pós-rodada futebolística de domingo – para discutir... política. A consultoria técnica ficará por conta de A Primeira.

Política redonda 2. Contratações já começaram. Entre elas estão Juorge Kaju, contido apresentador, Minto Nasneves, conhecido negociante, Chico Lango, destacado pensador contemporâneo, e Renada Tan, estridente inteligência estética da TV nacional.

Visita de Primeira. Intenso colaborador desta humilde coluna com fofoca em diversas idiomas, o ex-presidente, ex-charmoso, e atual jogador de bingo incorrigível, Ferrando Henriquieto Caroço foi recebido para um chá com bolachas. Estava acompanhado de tantos puxa-sacos, cuja lista ficou inviável publicar neste espaço.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Bandidos devolvem Picaço de Suzane Bloch ao Masppin

Tela foi confundida com pôster de Silvestre Stalonne; presidente do museu critica falta de criatividade dos ladrões, que usaram ferramentas minimalistas para o crime

Um dos mais belos Picaços da fase azul e o Pinguço no fim de carreira

POR SAMEL WEIMAR*

A polícia encontrou na noite do dia 8 de janeiro os dois quadros roubados do Masppin, prendendo dois meliantes. “Resolvemos devolver o quadro porque vimos que não era o pôster do Silvestre Stalonne”, confessou um dos bandidos, afirmando também ser fã do filme Rock e que o quadro iria enfeitar a sala de ginástica de sua casa.

Sobre a tela de Portinary, roubada junto com o Picaço, o outro comparsa afirmou que a pegou “por achar o quadro muito bonito”, o que, para o delegado Juraty Longo, demonstra que eles não conhecem nada sobre arte: “qualquer um sabe que os quadros mais caros são os mais feios”, disse o polícia.

Quando soube da notícia da recuperação das obras, ainda na noite do dia 8, o presidente do Masppin ficou aliviado. “Estava sentindo muita falta do Picaço”, disse Júlio das Neves, “e também do Pôr-tira-e-ri”.

Gênio do crime com mentalidade subdesenvolvida
Perguntado pela reportagem d’A Primeira Vítima sobre não ter evitado o roubo, o presidente das Neves se disse surpreso: “todos sabem que os ladrões de museus entram pela cúpula de vidro do teto e descem por fios de nylon, eles não arrombam a porta da frente com um pé-de-cabra” comentou. “O Brasil é pobre até nisso”, suspirou, levando dois dedos à sobrancelha esquerda. Júlio confundiu os animais: foi usado um macaco hidráulico, não um pé-de-cabra.

Em parceria com a iniciativa privada, que viu que a coisa está brava mesmo, o museu reformulou todo o seu sistema de segurança. Foram doados 12 cadeados grandes, dois médios, uma tranca de correntinha para porta e um papagaio, totalizando R$ 215,70.

Em nota oficial, o governador de São Paulo Josué Serra enfatizou que não tinha nenhuma relação com o roubo, já que “os ladrões usaram um macaco-hidráulico, e nenhuma grade foi serrada no museu”. O prefeito NunKassabe se limitou a dizer estar surpreso e a levar dois dedos à sobrancelha esquerda.

Com uma dívida de mais de R$ 10 mi, o Masppin possui o mais importante acervo da América Latina. Os dois quadros roubados no último dia 22 de dezembro estão avaliados em R$ 100 mi. “Eu não ia vender não, só queria que o Stalonne olhasse eu treinando boxe”, disse o meliante preso, que também pode responder pelo crime de atentado violento ao pudor por tirar o Picaço para fora do museu.

* Samuel Weimar é colaborador d’A Primeira Vítima. Você também pode enviar o seu texto para APV clicando aqui ó.

sábado, 12 de janeiro de 2008

Para espanto geral, Disse-me-disse muda a cabeça

José Disse-me-disse surpreende toda a mídia com nova cabeça

Zona pensante do Zé

DA BARBEARIA DO ZÉ, UM OUTRO ZÉ

O ex-deputado cassado, esculachado, escrachado – e outros “ados” que alongariam o parágrafo -, ex-ministro e atual fanfarrão (pra ficar numa expressão da moda) José Disse-me-disse, decidiu, até que enfim, mudar a cabeça.

O ex-nobre deputado submeteu-se a uma cirurgia para avolumar a cabeleira. Embora o procedimento não garanta o preenchimento total da caixa craniana que, diga-se, é considerável, o rapaz se mostrou extremamente otimista com a empreitada.

“Eu não vejo a hora de fazer um moicano [clássico penteado, ícone de toda uma geração adorada de música de excelente qualidade]. É uma das maiores frustrações nos tempos do ministério”, confidenciou o ex-galã, numa nítida tentativa de puxar a conversa para a esfera política.

Demonstrando particular desenvoltura durante a entrevista à Primeira Vítima – veículo do qual é assinante desde as primeiras insanidades aqui publicadas –, Disse-me-disse se empolgou: “Como prova de minha evolução, depois do moicano, vou partir para um visual emo [moda de madeixas engraçadinhas entre paulistanos].

O ex-provocador de instintos mais primitivos em deputados de igual ordem de evolução protagonizou neste mês mais um fato midiático ao narrar peraltices de correligionários do PTr (Partido dos Truta) no Rio Grande do Sul, local fértil em macheza.

Além de contar várias piadas de gaúcho a uma revista bacaninha, o atual fanfarrão (já tô de saco cheio dessa expressão) cagüetou que a sede do PTr no Estado foi adquirida com malinhas recheadas de dinheiro tradicionalmente suspeito. Coisa que não é novidade, né galera. Daí, foi um falatório só.

A oposição, diante de tamanho descaramento, mostrou-se disposta a apurar o caso em nome da moralidade. Não vai dar em nada, né galera. E assim caminha a humanidade...

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Ex-bonecão da Vila César vira presidente do Senado

Poucos colegas da Casa sabiam quem era o parlamentar potiguar nos anos 70

DE CASA MESMO

Talvez fosse melhor ele não ter tirado a fantasia...

Dizem que no Partido do Movimento Bagunçado do Brasil (PMBB) tem gente de tudo que é jeito. E tem mesmo. Depois de brilhar nas páginas de escândalos com o estrepitoso Ronan Calhordeiros, o PMBB traz agora, na Presidência do Senado, uma figura não menos ímpar. Não pelo seu potencial de maracutaias, mas sim pelo lado pitoresco. O senador Garibaldo Aves, do Rio Grande do Norte, tem participação discreta na Casa. Tão discreta que quase ninguém sabia que ele fez muito sucesso nos anos 70 com o público infantil.

É claro que ele não mostrava a cara que Deus lhe deu e que vocês podem ver acima. Ele se metia dentro de uma fantasia gigante de passarinho e fazia o patético Garibaldo no insuportável programa infantil Vila César, que mostrava as mazelas de um bairro da periferia de Natal nos anos 70. Embora sempre tenha sido de uma família abonada, Garibaldo sempre foi abnegado por ajudar os mais pobres. À época, como ator amador, decidiu passar calor dentro da fantasia de lã e fazer o passarinhão que vivia pentelhando o pessoal da Vila César, dando lições de higiene e bons costumes ao povaréu do bairro. Foi assim que, mesmo fantasiado, ele obteve popularidade entre as camadas mais miseráveis do Rio Grande do Norte.

Modesto, o Garibaldo de hoje não gosta de falar do passado. "Eu só dei um pouco de esperança para o povo pobre e necessitado da Vila César. Não merecia tanto assim, muito menos a Presidência do Senado", disse, com exclusividade, à Primeira Vítima. Agora que já decidiram pelo Garibaldo, vale a pena pelo menos relembrar sua história na dramaturgia brasileira. Valeu, Garibaldo!

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Prefeitura proíbe verão em São Paulo

"Não podemos mais descaracterizar a terra da garoa com um clima praiano", afirmou o prefeito Quemssabe

Kassab inspeciona futura pista de ski na neve em Interlagos

DA REPORTAGEM NA MARGINAL


Os paulistanos que reclamam ultimamente das baixas temperaturas nesse atípico dezembro devem se preparar: o prefeito de São Paulo, Gisberto Quemssabe (BEM-SP), informou hoje que o verão está proibido nas áreas públicas da cidade de São Paulo entre dezembro e março do ano que vem. Em mais um esforço para aumentar a apreciação das características estéticas tradicionais da metrópole paulistana, o clima outonal será instituído em nove meses do ano, sendo os três restantes destinados ao inverno. Temperaturas acima de 12º C só serão autorizadas em espaços fechados.

“Os últimos três meses, quando eliminamos a primavera e prorrogamos o inverno, mostraram o quanto a cidade pode ficar ainda mais agradável e mais próxima da imagem que todos temos, de uma terra fria, úmida e cinza”, explicou Quemssabe. A recém batizada “Operação Cidade Fria” soma-se a “Operação Cidade Livre” que retirou todos os anúncios publicitários das ruas paulistanas. “Depois de recuperar sua tonalidade cinza original, só faltava garantir o acolhimento invernal típico de São Paulo”.

A terceira fase do programa, que torna obrigatória a garoa em dias úteis, na região do centro expandido, é a grande aposta de Quemssabe para a campanha eleitoral para a sua (re?)eleição em 2008.

A população paulistana, surpreendida com as baixas temperaturas em dezembro, está dividida: “Com o frio, teremos o único Natal brasileiro com neve, como nos filmes americanos”, opina a socialite Catarina Matarazzo. “Eu acho que eu perdi a minha montanha de chocolate... você viu a minha filha por aí?”, acredita Felpudo, morador de rua.

Desde meados de abril, a construtora Amargo Orrêa instala grandes ares condicionados em regiões estratégicas da cidade – o maior dele, no formato de uma... ponte... está quase pronto, na Marginal Pinheiros próximo à av. Jornazista Roberto Marinho. Até o dia 25 começarão também a funcionar os borrifadores de neve artificial no topo da estrutura. “A neve é totalmente orgânica, feita a partir dos dejetos químicos da usina de Traição”, explicou um dos técnicos da construtora.

Cinza, frio e anti-mendingo?
Após o término da coletiva em que anunciou o projeto, a assessoria de Quemssabe negou “veementemente” que a prorrogação do inverno paulistano seja uma nova etapa climática da “Operação Anti-mendingo” instalada pelo ex-prefeito Josué Cerro.

Um dos novos ar-condicionados que borrifarão garoa em São Paulo;
neve, somente no inverno, no Natal e no Dia da Consciência Negra

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Pinel de Primeira: Queda do ministro e Bic Mac

Por Olvídio Mor Horelhãns

Acompanhamento. Em uma de suas raras viagens internacionais, o ministro da Injustiça, Raso Genrys, quis impressionar o presidente Lulla. Levou ao pé da letra recomendação de acompanhar o chefe em tudo. Resultado: conheceu de pertinho o solo boliviano.

Peça pelo número. O governo já tem definida estratégia para demover o frei Lui Flácido Capiche, em greve de fome contra a evaporação das águas do rio São Francisco. “Descobrimos que ele curte um Bic Mac”, adianta um dos emissários.

Amor à profissão. Numa bela tarde do início do mês alguns coleguinhas de um grande jornal impresso nacional se pegaram para decidir quem iria entrevistar o governador Josué Cerro. Sobraram catiripapos até para o pauteiro que propôs a idéia.

Operação à vista. A Polícia Faz-Geral prepara uma operação para desbaratar tráfico no Congresso Nacional. Trata-se de uma turminha que não passa sem uma paçoquinha antes, durante e após uma votação. “O consume é alarmante”, revela um delegado.

Graciiiinha! Novo presidente do Senado, Garimpando Elvis já colhe os louros do cargo. Além dos dividendos de praxe, ele notou o quanto a posição rende esteticamente. “Algumas jornalistas insistem em tomar nota do que digo sentadas no meu colo”, sussurou.

Visita de Primeira. O presiditador venezonaelano Cháves foi recebido para almoço. Estava acompanhado por uma cambada, que não conseguiu segurar a fúria dos repórteres d’A Primeira, que o socaram devidamente depois da censura imposta ao noticioso.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Escreva sua reportagem para APV

Agora você também pode publicar seus textos n'A Primeira Vítima!

Enviar uma reportagem e publicar um texto pela APV ficou fácil; não precia nem de vínculo empregatício. Siga os passos e entre para a nossa equipe de colaboradores:

1. Crie uma pauta verossímel o suficiente para empolgar um dos nossos editores e comece a apuração. Não é necessário informar a pauta com antecedência - raramente a realidade corresponde à proposta inicial. Para verificar se sua pauta se adequa à nossa cobertura, leia a
Declaração de Princípios do blog.

2. Apure sua reportagem coletando dados em diversas fontes. Caso faça um grande esforço de apuração, como levantar da cadeira ou até mesmo sair pra rua, mencione o feito na reportagem. Não se esqueça de ligar na última hora para o Outro Lado.

3. Escreva a reportagem. Lembre-se de que o leitor de blogs jornalísticos aprecia a informação resumida, bem organizada e duvidosa. Para solucionar duvidas ético-gramaticais, consulte o
Manual de Redação "O ABC da APV".

4. Envie sua reportagem, fotografias, infográficos e seu nome jornartístico para
john.renner.apv@gmail.com

5. Candidatos ao curso de treinamento em Jornalismo Pragmático devem enviar também (de preferência preenchida) a
ficha de contratação.

Se o tempo for escasso, você pode começar diretamente pelo ponto 3.

ATENÇÃO: O envio de reportagens NÃO SERÁ REMUNERADO. Caso o repórter tenha recebido qual tipo de jabá, uma comissão de 5% será cobrada pela APV Comunicações S/A.

web page hit counter