domingo, 8 de março de 2015

Pouca vergonha na Petrobrax começou com patrocínio ao Flamengo, lembra Garrincha

A Primeira Vítima não gosta de teoria da conspiração, porque de teórica essa conspiração não tem nada
DA GEMA

O escândalo na Petrobráx não começou no atual desgoverno, nem no do Lulla, nem no do Dotô Cardozo. No dia 8 de abril de 1984, o Flamengo entrou em campo, pela primeira vez, com patrocínio na camisa. O jogo foi contra o América, pelo Campeonato Brasileiro, no Maracanã. Em meio à camisa rubro-negro, uma faixa amarela anunciava: Lubrás.

Nunca uma parceria durará tanto no futebol brasileiro quanto a do time com a empresa, que exibiu a si e a seus produtos no umbigo do mengo por 15 longos anos. Dizem que, no fim, foi o pré-sal que assustou os flamenguistas, que sempre defenderam que churrasco se faz mesmo é com sal grosso, e só. Dizem também que era o governo que mandava colocar dinheiro no Flamengo, para o povo não se revoltar ainda mais. Mas a verdade é que o fim da parceria, em 2009, começou a desagradar muita gente. Inclusive uns doleiros e delatores que resolveram colocar a boca no trombone e o trombone no ventilador (ou não seria a boca?) durante as eleições presidenciais de 2014.

Agora o leitor para e pensa: por que uma empresa estatal investiria no time mais caro do país, então saído do auge das suas conquistas com Zzico? Por que exibir um lubrificante na camisa?

Sim, sabemos, os vascaínos vão logo encontrar motivos para essa intensa relação entre o Flamengo e a lubrificação. Mas o fato é que em 1984 a Petrobrás tinha Tim Maia (assista aqui: http://www.google.ch/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&ved=0CDIQtwIwAg&url=http%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3Du54YHOX-xKE&ei=OPH7VOz_J4fMOruMgNgJ&usg=AFQjCNG-0N6FEv1g7pu_jDOlsMPem8zlbQ&bvm=bv.87611401,d.ZWU).

Mais do que isso: a lubrax tinha um market share que não justificava esse investimento.

Foi desvio. Foi lavagem. Já ouvi que foi um jeito de arrumar dinheiro para uma certa emissora de TV, sem dizer. Mas, em entrevista recente, Garrincha contou-me que foi mesmo é a maior pouca vergonha, na cara do futebol brasileiro.

A Primeira Vítima ouviu de fonte segura que um dos melhores engenheiros da empresa, botafoguense, pediu demissão naquele ano: desapontado. Sem ele, a Petrobrax levou uma década até encontrar petróleo por baixo do sal grosso dos paulistas e cariocas (quem faz churrasco sabe que era meio óbvio, vai?).

Mas o melhor da história vem agora: quem gosta de futebol lembra que apenas um time interrompeu aquele rompante flamenguista do começo dos anos 80, e esse time foi o Grêmio.


Agora, a pergunta de um milhão de Reais: Como chamava mesmo o lateral direito do Grêmio, Campeão Brasileiro de 1981?

Paulo Roberto Costa.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

EXCLUSIVO: “Justiça não é lenta”, diz magistrado

A Primeira entrevista juiz que deu role com carro de empresário

O juiz em grande conduta pelas ruas do Rio de Janeiro

DO BANCO DO CARONA

De posse de sua reputação ilibada e uma Porsche do empresário classe média Leite Fraudista, o juiz sensacional Flácido Bob Mor Horelhãns defendeu-se da acusação de fazer uso indevido do veículo do empresário. “Foi a única forma que encontrei para provar que a Justiça neste país não é lenta”, explica do magistrado. Flácido falou com exclusividade À Primeira Vítima. O juiz convidou a reportagem para dar um role. Confira os principais trechos percorridos da entrevista:

A Primeira Vítima: O senhor foi flagrado utilizado uma Porsche de um réu que o senhor pretende fudê. O que tem a dizer?
Flácio  Bob Mor Horelhãns: Primeiro, queria deixar bem claro que nego veementemente (nesse momento ele dá uma piscadinha pra reportagem) qualquer ilação a respeito da minha conduta ao volante. O que fiz foi um protesto muito do silêncio para mostrar a toda a sociedade brasileira que a Justiça não é lenta. Mas me parece que ninguém conseguiu entender o meu humilde gesto.

APV: Mas isso é legal?
Flácido: Porra, bota legal nisso! Você não tem ideia de quantas minas me olharam quando eu dava um rolezinho. Nossa, eu me senti total, que nem o sujeito daquela música do Paralamas...

APV (o repórter, super atento ao que juiz dizia, faz a correção): a canção a qual o senhor se refere fala de moto e não de carro...
Flácido: É porque ainda eu não mandei apreender as motocas do Fraudista. Aí você vai entender o que quero dizer...

APV: Então o senhor pretende seguir com os protestos?
Flácido: Claro! Todos nós temos de exercer nossa cidadania!! Devemos protestar contra toda essa falta de vergonha na cara desses nossos políticos!!! São tudo uma cambada de safado!!!!

APV: O senhor bebeu?
Flácido: Não, por quê?

APV: Tem uma blitz aí na frente...
Flácido: Meu filho, eu sou juiz. Juiz sensacional. Se esses idiotas me pararem, dou uma carteirada neles.

APV: O senhor fala isso porque está com a habilitação em dia...
Flácido: Habilitação? O que é isso? (o repórter bate com a mão na própria testa e pensa “é pior do que eu imaginava...”)

APV (tentando dar continuidade à entrevista): O senhor foi o primeiro magistrado flagrado utilizando um bem de um réu em processo sob sua responsabilidade.
Flácido: Sem falsa modéstia, o pioneirismo sempre foi uma marca da minha atuação. Vejo isso com naturalidade. Nossa, olha que loira gostosona. Vou dar uma buzinadinha; pira como ela vai pagar um pau (a reportagem reconhece que a loira é muito gostosa e dá mó força pro juizão).

APV: Ih, parece que ela não está olhando pro senhor.
Flácido: Quem mandou você baixar o seu vidro?!? Era pra ela olhar pra mim e não pra você. Mais uma dessa, e te dou voz de prisão!

APV (o clima fica tenso; a reportagem tenta amenizar a situação): Fazendo justiça, o senhor dirige muito bem.
Flácido: Muito obrigado (nova piscadinha).

APV: Levando em conta o seu pioneirismo, o senhor pretende mandar apreender a ex-mulher do Fraudista?

O juizão, já com seu olhar 43, pensando na ex do Fraudista
Flácido: (com cara de surpresa) Rapaz, eu não tinha pensado nisso! Grande ideia!! Assim que chegarmos ao meu gabinete, tomarei as devidas providências. Só que dessa fez eu não vou mandar a Polícia Faz Geral ir lá não. Vou pessoalmente com a Porsche. É como eu disse: a Justiça neste país não é lenta (com grande celeridade, o juiz pega um CD no porta-luvas, coloca no aparelho, pisa fundo, passa em tudo quanto é sinal vermelho em direção ao seu gabinete, cantarolando “Eu sou terrível”, do Rei, claro – para desespero da reportagem colada ao banco do carona).

 
APV: Com vocês, Flácido! Podem aplaudir!!
Flácido (cantarolante):
Eu sou terrível, e é bom parar /

De desse jeito, me provocar /

Você não sabe, de onde eu venho /

O que eu sou, e o que tenho /

Eu sou terrível /

Vou lhe dizer, e ponho mesmo, pra derreter /

Estou com a razão no que digo /

Não tenho medo nem do perigo /

Minha caranga é maquina quente /

Eu sou terrível /

E é bom parar, porque agora, vou decolar /

Não é preciso, nem avião /

Eu vôo mesmo, aqui no chão /

Eu sou terrível /

Vou lhe contar, não vai ser mole, me acompanhar /

Garota que anda do meu lado /

Vai ver que eu ando mesmo apressado /

Minha caranga é maquina quente, eu sou terrível /

Eu sou terrível /

Eu sou terrível, e é bom parar /

De desse jeito, me provocar /

Você não sabe, de onde eu venho /

O que eu sou, e o que tenho /

Eu sou terrível, vou lhe dizer /

E ponho mesmo, pra derreter /

Estou com a razão no que digo /

Não tenho medo nem do perigo /

Minha caranga é máquina quente /

Eu sou terrível... /
 
APV: Agora, sim, o senhor acertou na canção...
Flácido: Eu sou terrível!!!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Governo de SP é acusado de adulterar pesquisa

Instituto contratado pedirá investigação ao Ministério Público

Clique na imagem para ver a prova da fraude de forma ampliada
 
 
DA OFICINA MECÂNICA

O governador de São Paulo, Gerardo Aidemim, terá de responder na Justiça acusação gravíssima de adulterar pesquisa. Munido do mais puro jornalismo investigativo e dando sequência à série de reportagens-denúncia, A Primeira Vítima descobriu a fraude no site do próprio governo. Trata-se de pesquisa sobre nível de satisfação no atendimento em um posto do Mudetran numa estação de metro paulista.  

Veiculada na página oficial do governador, a matéria – bem apurada e, sobretudo, com uma escrita impecável, temos a humildade de admitir – traz o título: “Posto do Detran.SP na estação Marechal Deodoro do Metrô tem 99% de aprovação dos usuários”. Não acredita? Dá uma clicadinha aqui e veja com seus próprios olhos a íntegra da patifaria. As imagens são fortes.  

Após cumprir seu dever de bem informar a população nas primeiras linhas do texto com data de 19 de janeiro, o que vem em seguir é esse disparate: “Destaque também para a aprovação do público: desde que o posto começou a funcionar, em 26 de dezembro de 2013, 99% dos cidadãos usuários, em média, consideraram o atendimento ótimo ou bom.” 

Constrangimento
“Em primeiro lugar, o texto não cita a fonte do levantamento. Fomos contratos, fizemos o trabalho, recebemos direitinho o combinado que, quando é assim, não sai caro, mas não contávamos com a adulteração. Estão usando a nossa credibilidade de forma baixa. Vamos às últimas consequências para provar que modificaram o nosso trabalho”, desabafou o presidente do Instituto Vítima Datada, Mario Paulada Mor Horelhãns. Ele disse que acionará o Respeitável Ministério Público na quinta-feira (19).  

A Primeira teve acesso à pesquisa original. Nela se vê claramente que o nível de aprovação é de 110%, com dois pontos percentuais para mais ou para menos. A reportagem entrou em contato com o governador, que empurrou para o vice, que passou o assunto para o secretário de Comunicação, que informou que o chefe de seu gabinete saberia indicar com quem estavam os detalhes e poderia falar com propriedade. Destacou-se, então, o office-boy.  

“É o seguinte, a gente recebeu a pesquisa e ficou constrangido de dar 110% de aprovação. Pensamos no 108% [dentro da margem de erro], mas ainda assim ficamos muito encabulados. Daí eu dei a ideia de colocar 99%. O pessoal achou legal. E pronto.” explicou o jovem, com uma convicção de se assustar, o que dirimiu todas as dúvidas do repórter.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Capital federal faz o melhor carnaval do Brasil

A Primeira Vítima transmite os desfiles ao vivo para todo o país e pro exterior

Sambódromo de Brasília preparado para os desfiles

DA CASA DA GLOBELEZA

A festa mais popular do país encontrou em Brasília a melhor expressão do Carnaval. Começa neste domingo (15), com previsão para durar o ano todo, o desfile das facções do samba do grupo ultra-especial na passarela dos ministérios. Confira a ordem e o enredo das principais agremiações, que concorrem neste ano (e nos demais) à maior propina nunca antes paga na história dessa bagaça.

O Partido dos Traidores (PTr) se apresentará com um tema que já caiu nas graças do povão. Com o enredo “Mete a mão, companheiro – eu, você, nós na terra do Mensalão” o bando promete empolgar o público com brilhos de algemas, grandes destaques enclausurados e muita trambicagem nas mãos e nos pés.

O Partido do Só Dá Bosta (PSDBs) joga todas as suas fichas num tema contemporâneo: “Xô, pobreza – o aeroporto não tem pertence; volta pra rodoviária, já”. A facção importou todos os componentes e materiais para confecção dos carros alegóricos luxuosíssimos, com o devido sonegamento de impostos, e pretende privatizar alegria de todos os brasileiros. Sem exceção.

O Partido da Merda Devidamente Brasileira (PMDBr) aposta na tradição. O samba-enredo “Se hay gobierno, estoy dientro – o importante é fudê o país” vem com referências históricas da facção, como Josué Barnye e Michael Mutreta, entre outros grandes nomes, em intermináveis cabides de emprego.

Ao vivo
Mas para quem pensa que a grandiosidade de Brasília se limita ao desfile das facções, se engana. Há também a beleza dos blocos. O mais tradicional é o do Congresso, que se esparrama pelos ministérios, estatais e afins, com o tema “Me dá um carginho, aí”.

Outro excepcional bloco é o do Supremo Trapalhões Federal (STFl). Reconhecidamente elitista, seus ministros foliões procuram cair na gandaia com muita discrição, de preferência entre quatro paredes. O mote é “Judiciário Populista, uma conquista nacional, e que venha a bacanal”.

A Primeira Vítima transmite ao vivo tudo – da concentração na Praça dos Três Poderes até a dispersão na Esplanada dos Ministérios. O ano todo. E só para assinantes.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

VEM PRA SER FELIZ? Grobo economiza na transmissão e vai exibir desfile de 2008 de SP como se fosse ao vivo

Em tempo de vacas magras, maior emissora de TV do Brasil corta carnaval paulista de 2015 da programação; "e tudo a mesma porcaria, todo ano a mesma coisa", declara o tubarão das Alagoas e repórter Carcio Manuto

DIRETO DO ANHEMBI

Carcio Manuto, o tubarão das Alagoas, finalmente descansará no carnaval - ainda bem!

A crise que assola o Brasil atingiu em cheio a toda poderosa TV Grobo, e logo em um dos seus produtos que e mais tradicional: a transmissão do carnaval. Preocupados com as contas que não fecham, e sem patrocinadores para o evento em SP, - eles preferiram investir no crescente carnaval de Riosucio, na Colômbia - a emissora cortou os desfiles ao vivo da capital paulista da sua grade de programação neste ano. O que você verá (ou já viu) na TV a partir de sexta e uma mera repetição do carnaval de 2008, com uma leve maquiagem de edição e alguns efeitos especiais.

"Sabemos que todo ano os temas se repetem, ainda mais em SP. Nos últimos 10 anos, tirando uma brincadeira ou outra com as vinhetas de transição, foi tudo rigorosamente igual. Então, fizemos um sorteio com os últimos dez VTs e deu o de 2008. Apostamos que o telespectador paulista nem se dará conta de que se trata de um desfile de sete anos atrás", declarou em off Nobinho, que chefia as equipes da Grobo durante a transmissão da folia, além de estar a frente do Big Broxa Brasil.

"E tudo a mesma porcaria, todo ano a mesma coisa", proferiu aos berros o tubarão das Alagoas e repórter responsável pela transmissão do carnaval paulista, Carcio Manuto. Ele, aliás, era um dos mais radiantes com a novidade. "Finalmente vou poder viajar pra terrinha no carnaval e não vou precisar mais enganar e encher o saco das pessoas com aquelas fantasias e adereços que eu mesmo compro na 25 e levo pra avenida", revelou, aliviado.

O contingente de repórteres, câmeras, auxiliares e afins envolvidos nos dois dias de transmissão também foi um dos motivos para a tomada de decisão. "Economizaremos muito com horas extras, será muito importante para rentabilizar as organizações Grobo e trabalhar com um Ebitda mais próximo do ideal para o ano", disse Ali Kamelo, um dos executivos responsáveis pela emissora. As equipes ganharão folga durante o período, e apenas os participantes do Escravizar, programa de estágio da casa, trabalharão. "Alguém precisa cuidar da edição, né?", completou Kamelo.

A emissora também cogita cortar a transmissão dos desfiles do Rio, mas só a partir do ano que vem. "Os patrocinadores puseram grana, então a transmissão ocorrerá normalmente, mas para o ano que vem, como tem Olimpíadas e a grana das empresas deve ir para esse evento, podemos ter que adotar a mesma tática", disse Nobinho.

A apuração das escolas de samba de SP, um dos eventos mais tradicionais do carnaval, também será requentada. "Mas aí usaremos a apuração de outro ano, diferente de 2008, para dar mais emoção e não revelar o vencedor antecipadamente. Como todo o julgamento de carnaval e subjetivo, não tem problema, o que importa e a Gavioes se fuder no final e a Vai-Vai ganhar", finalizou Nobinho, beijando a bandeira da agremiação da Bela Vista.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Câmara adotará regimento parlamentar da Ucrânia

Objetivo é melhorar ainda mais a produtividade legislativa

Deputados ucranianos em grande exibição da forma regimentar local
 
DO ENVIADO ESPECIAL À UCRÂNIA

Recém-empossado presidente da Câmara dos Despudorados, Educado Unha anunciou nesta sexta-feira (13) a adoção de um novo regimento parlamentar na Casa após o Carnaval. “Queremos utilizar o modo peculiar de procedimento na Ucrânia, ou seja, a porrada vai comer solta. Precisamos oficializar o que todos os nobres colegas desejam aqui já faz tempo. A ideia é melhora ainda mais a produtividade legislativa”

A pedido de Unha, dois deputados ucranianos fizeram uma pequena exibição ontem (12) para os colegas brasileiros visualizarem o que poderão experimentar durante os debates. Uma interessante troca de socos conseguiu desanuviar uma singela divergência sobre implementação ou não de uma lei anticorrupção no país. A performance ganhou as manchetes do mundo todo.

Biquíni
“Percebe como a coisa é um sucesso?”, questionou Educado ao notar o encantamento da reportagem com a nova ideia. “Rapaz, a audiência da TV Câmara vai bater lá no teto. Que Anderson Silva que nada. O povão gosta mesmo é de se identificar com as pessoas na televisão. Essa pancadaria natural tem mais a ver com a nossa realidade do que aqueles eventos esportivos enlatados”, deferiu Unha.

Homem de visão, ele pretende promover apenas dois debates por noite para não desgastar o formato: um masculino, sobre discussões envolvendo disputa por amantes; e outro feminino, pra ver quem desmancha o penteado da outra mais rapidamente. “Ainda estou em dúvida se as nossas nobres colegas entrarão no ringue de biquíni. Não queremos chocar a sociedade, apenas entretê-la, já que essa é a nossa maior função aqui.”

Aplicativo
A movimentação para escolha dos líderes já ganhou força nos corredores da Câmara. Serão eles os primeiros a se estapearem assim que o regimento entrar em vigor, a partir da próxima quinta (19). “Ainda bem que o Popó não se reelegeu”, lembrou um despudorado que, com as calças já borradas, envergonhou-se em se identificar. O colega ao lado foi cruel: “mas agora tem o João Derly, bicampeão mundial de judô”. “Fudeu”, complementou o todo borrado.

Unha nega que a modalidade regimental fomente a violência. “Não queremos a morte de ninguém. No máximo, uma fratura exposta. Nossos quadros são muito limitados.” Ainda segundo o presidente da Câmara, o eleitor poderá escolher qual dupla que se enfrentará. “O aplicativo para a participação cidadã já foi desenvolvido. As pessoas poderão baixá-lo gratuitamente”, informou o entusiasmado despudorado.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

BOMBA: Mala Deupity será a nova presidentA da Petrobras

Nomeação antecipada pel'A Primeira faz parte de pacote para preparar privadizacao - com D mesmo - da companhia

DA ENCACHAÇADA REPORTAGEM LOCAL
COLABOROU O EX-SENADOR DESEMPREGADO SAIUDAQUY

Mala e Yousseff em momento amoroso antes de a ex-ministra virar consultora Mary Kay

A ex-ministra, ex-prefeita, ex-amiga e es-crota Mala Deupity assumirá no inicio de março a presidência da Petrobras. A informação foi dada ao Primeira por fonte exclusiva em um encontro intermediado pelo ex-senador Desempregado Saiudaquy no Bay Park Hotel, na capital federal, em meio a mergulhos intercalados por doses de cachaça e versos de Bob Dylan no parque aquático do local.

Visivelmente bêbada depois da oitava dose de Germania, a fonte, que tem acesso direto e irrestrito a presidenta Nilma Yousseff, declarou (logo antes de gorfar na piscina) que a nomeação acontecerá no inicio de março. "A intenção e foder de vez a bagaca, jogar a ação lá embaixo e completar o processo de privadizacao - com D mesmo - que o Partidos dos Traidores vem conduzindo com maestria há alguns anos", revelou.

Repercussão
Para o analista sênior de petróleo, carvão e estrume da Pendências Consultoria Enlatada, Tomas Turbando, uma possível nomeação de Mala pode quebrar a Petrobras. "E capaz de a ação ficar negativa, e os investidores terão que pagar para devolver os papeis. Esse cenário e o pior de todos, pois, se a falência for decretada, o processo de privadizacao não poderá ser consolidado, e o plano do governo ira por água abaixo. Seria um desastre completo".

Procurada pela reportagem de A Primeira, Mala Deupity ficou louca e começou a gritar no telefone, perguntando como havíamos conseguido seu número e dizendo que iria processar o informativo, as organizações Mor Horelhans, o CEO John Renner, o CFO Olvidio Mor Horelhans e o CIO R. Porter. "E quem mais caralho for necessário", completou antes de desligar.

Em nota oficial, o Palácio da Planície repudiou as indagações deste repórter acerca da nomeacao e disse que Mala tornou-se persona non grata para Nilma após abandonar o governo e virar consultora Mary Kay - a presidenta e usuária e fã inconteste da marcas tupiniquims Natura, O Boticario e Quem Disse Berenice, além de usar Leite de Aveia Davene diariamente após o banho matinal.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Curtas de Primeira

Colônia – Depois de Maulo Parfuff, Finando Hardad e Gisberto Qassab, a comunidade do Jardim de Alá, no Rio, acredita o próximo prefeito de São Paulo será Selso Muçulmano.

Ele que faz –Partuff, atualmente atuando como deputado de centro-esquerda, telefonou esta semana para sugerir ao governador Giraldo Aidemin que mude o nome do Aquífero Guarani e, assim, possa anunciar a descoberta de um “pré-sal com água” bem debaixo da fuça dos paulistas. “Esse negócio de volume morto é muito ruim de marketing. O povo pensa logo em purgatório, cemitério, essas coisas. Pré-sal é bem melhor. Piscinão é bom também”, lembra o experiente deputado.

Cálculos – Por falar em pré-sal, assessores d’A Fazenda estão apostando em um crescimento do preço internacional do tempeiro para compensar as perdas com o petróleo. Na indústria do fast food, a complexa operação é conhecida pelo jargão de “combo”: “Se a gente vende o óleo, por que não vender também o sal?”, simplifica um engenheiro.

Mônica e Magali – A Primeira Vítima soube de fonte segura que coube a Cebolinha um tuíte recente da Presidenta da Argentina, Clistina Kilshner. Desde que foi visto pela última vez em uma banca de jornal perto da sua casa, aquele rapazinho de camisa verde cresceu, conheceu uma portenha no carnaval de Floripa, mudou-se para Buenos Aires, fez carreira no Programa Lunar Argentino (durante o mandato do ex-Presidente Finando De la Rúa), e trabalhava até há pouco de Assessor Especial na Casa Rosada. Viajou com a Presidenta para Pequim. Tuitou. E foi demitido, injustamente, no último domingo.

Barraco – A Presidenta Rosada também demitiu outro assessor no memso dia. “Estúpido. Eu falei subsídio, não suicídio”, relatam ouvintes da conversa.

Mudança de hábito – O Movimento Brasil Contra as Barragens anunciou a transferência de sua sede de São Paulo para o Mato Grosso... Para o pessoal poder tomar banho de represa, sossegado.

Juristas – O Partido Partido e Repartido (Petê) aposta que, depois de levantar a lebre sobre a oportunidade legal do impeachment, juristas brasileiros farão agora um esforço concentrado para provar que o Ato Institucional Número 5 foi recepcionado pela Constituição de 1988, e, portanto, deveria voltar a ser aplicado, retroativamente, desde 2003.

Outro lado – Eminente figura da sociedade nacional explicou que, na verdade, o objetivo do argumento jurídico é “passar o Brasil a limpo”. Com letra de médico, que é pra ninguém entender nada.

Passado de ouro – Pouca gente sabe, mas o atual Ministro do Desporto (cujo nome é mantido em sigilo), além de sacerdote, já foi jogador de futebol. Segundo ele mesmo contou à reportagem, sua especialidade era bola nas costas.

Inspiração – Após ouvir sucesso recente denominado “Sabe aquele gelo que você me deu?”, o Ministro da Ciência e Tecnologia, Ardo Rimbelo, desenterrou uma antiga proposta da gaveta e mandou perguntar ao pessoal do Programa Antártico quanto custaria rebocar um iceberg até o porto de Santos. A resposta chega na semana que vem.

Recordar é viver – A coluna de hoje termina com um conto. Era uma vez um ministro que tinha dois patos em uma lagoa. A lagoa secou mas, juntos, os patos chegaram lá:

https://www.youtube.com/watch?v=KdnaFHAJiG4




Governo de SP comemora sucesso de PPP

A Primeira foi único veículo sério a noticiar ação pioneira

Gerardo explicando quanto tem de água nos reservatórios
DO ALÉM

O governador de São Paulo, Gerardo Aidemim, anunciou na terça-feira (10) a descoberta do quarto volume morto no Cantareira, sistema responsável por atender 6,2 milhões de pessoas na região metropolitana. Trata-se de uma vitória particular de Aidemim na corrida desenfreada para oferecer à população soluções práticas e inteligentes à crise hídrica que assola todo o estado.
 
Para obter resultado tão expressivo, o Gerardo apostou fundo numa modalidade completamente desacredita por seus adversários políticos, a Parceria Público na Privada (PPP). No caso, firmou contrato de exclusividade com competente místico Inri Cristinho para ressuscitar quaisquer volumes mortes existentes.

“Primeiro, o Inri descobre quantos mortos existem, depois faz levantar”, explicou Aidemim. “Os primeiros frutos dessa parceria gloriosa já começaram a aparecer”, completou.

2018
Nos bastidores, auxiliarem do governador não escondem a alegria e o otimismo em resolver a crise hídrica rapidamente, credenciando o patrão à corrida presidencial de 2018.

“Quero também parabenizar as Organizações A Primeira Vítima por ser o único veículo sério deste país a noticiar a nossa humilde iniciativa”, disse o governador, visivelmente emocionado.

Em nota, o presidente das Organizações APV, John Renner, sinalizou que o dever de informar sempre fala mais alto nas fileiras jornalísticas do grupo. Ressaltou ainda que qualquer cliente terá tratamento de primeira se mantiver todos os pagamentos em dia.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Governo escolhe nova mascote para programa

Estratégia do Planalto é divulgar fatos positivos do governo

Rolex, indicando de onde saem tantas ideias brilhantes
 
DA SALA DA PRESIDA

Numa brilhante tentativa para melhorar a imagem do governo diante de tanta crise, a presi-dente Vilma Rolex anunciará nesta terça-feira (10) a mais nova mascote do programa Minha Casa, Minha Vida.

A reportagem d’A Primeira Vítima acompanhou o momento da escolha a convite de Rolex. Trata-se do auditor fiscal da Prefeitura de São Paulo Josué (você pensou que era o Cerro, né; mas não é não) Lagoa Rodrigo de Freitas.

Em quase trinta anos como servidor público, Freitas acumulou 55 imóveis, avaliados em R$ 20 milhões. E, como prova de desapego, vendeu outros 28, amealhando cerca de R$ 11 milhões.

“Porra, esse é o cara. Um exemplo para que todos aqueles que ainda não realizaram o sonho da casa própria continuem acreditando que tudo é possível. Alguém tem dúvida aí?!?!”, sussurrou Rolex para os seus assessores que, estranhamente, mudaram a coloração das respectivas calças assim que a presida sapecou a frase.

Fidelidade
A reportagem d’A Primeira apurou com os auxiliares presidenciais que o auditor concorreu com grandes nomes, entre eles o ex-presidente, ex-senador e eterno dono da província do Maranhão, o também Josué, só que neste caso, Barney.
 
O ex-senador só perdeu a finalíssima para Freitas porque não conseguiu entregar a tempo e em condições de habitação um casarão que abriga um museu sobre ele em São Luís, capital da província, com a história desse grande político brasileiro, um orgulho para todos nós.
 
“Mesmo perdendo a disputa, fico feliz com a escolha, mais do que justa”, comentou Josué Barney assim que soube do resultado. “Meu filho, aproveitando o ensejo, você conferiu aí se o depósito caiu direitinho?”, acrescentou Barney, referindo-se ao programa de fidelidade d’A Primeira, sistema de encomenda de elogios aos citados em matérias jornalista do noticioso. “Opa, tudo certinho”, respondeu a reportagem com o extrato bancário em mãos.
 
O Minha Casa, Minha Vida é um programa do governo federal em parceria com estados e municípios que oferece “condições atrativas” a famílias de baixa renda para compra do seu cafofo. A primeira mascote eleita havia sido o ex-ministro e atual escondidinho, Antonio Paloqui, sujeito competente que conseguiu aumentar seu patrimônio em vinte vezes em quatro suados anos de trabalho duro.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Governador de SP tem 80% de aprovação

Humildade pesou resultado da pesquisa

DE UMA CRECHE EM PORTO ALEGRE

O governador de São Paulo, Gerardo Aidemim, obteve 80% de aprovação em levantamento divulgado nesta segunda-feira (9). Segundo o Instituto Vítima Datada (IDV), do conglomerado A Primeira Vítima, quatro entre cinco pessoas pesquisadas dizem aprovar com louvor a administração de Aidemim.

Gerardo vibra com familiares ao ver o resultado
“Ele só não obteve 100% de aprovação porque se mostrou um homem extremamente humilde”, conta o presidente do IDV, Mario Paulada Mor Horelhãns. A pesquisa foi realizada no domingo com cinco pessoas: Dona Lu Aidemim, o próprio Gerardo e os três filhinhos do casal, Soprhida, Gerardo Jr. e Thomais no Fru.

“Veja bem, eu me abstive de responder à pesquisa porque não queria influenciar o resultado. Sou um republicano, defensor da democracia, que prega o trabalho para servir beeeem toda a pó-pu-la-ção desse meu amado estado”, recitou o governador, para delírio de toda a família reunida em frente à TV para acompanhar o Big Bosta Brasil.

Paulada diz que a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais, para menos, pra cima e pra baixo. “O nível de confiança é de 100%, ou seja, sempre que realizada com as mesmas pessoas trará o mesmo resultado”, esclarece o presidente do IDV.

Netinho
A oposição reagiu. “Vamos contratar o Instituto [Vítima Datada] para realizar a mesma pesquisa com a nossa presi-dente. Estamos confiantes num resultado super positivo”, confidenciou o presidente do PTr, Ruim Facão.  

Mario Paulada adiantou que o cheque ainda não caiu na conta bancária do IDV e que por isso não poderia comentar a fala de Facão. “É uma regra de ouro do conglomerado [A Primeira Vítima]: falar somente depois do devido pagamento legal. Ainda não fomos notificados.”

A reportagem apurou que a presi-dente Vilma Rolex já entrou em contato com o netinho, convocando o guri para se fazer presente em Brasília no próximo domingo. O menino já havia tentando empreender fuga do Palácio, mas a relação entre ambos está legalzinha. A seguir, as principais falas dos dois em conversa por whatsapp:

Presi-dente: oi
Netinho: oi

P: Vem pra cá no domingo vê a vovó?
N: Não.

P: Por que bebê não quer vir?
N: É Carnaval. Quero cair na bagunça.

P: Porra, então vem pra cá, caralho! Quer bagunça maior do que estou fazendo?
N: É verdade, vó. A senhora é fera nisso.

P (com vozinha de criança): cê pra cá gugu teteia?
N: Vo vovó, mas não fala assim que a senhora me mata de vergonha...

P: Vai se fude, moleque. Me respeita.
N: :)

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Oposição acusa governo de superfaturar obra

A Primeira Vítima inicia série de reportagens-denúncia

Aédys recebendo instruções de seu treinador
 
Ruim Facão com cara de “não sei de nada”
 
DO OCTÓGONO

O PSDBs entrou com representação no Respeitável Ministério Público acusando o PTr de superfaturar as obras de travessia do Mar Vermelho. “Aquele Moisés nunca me enganou”, esbravejou o atual derrotado à presidência da República e senador Aédys Nevys, já completamente adaptado ao novo visual.

Moisés, durante obras no Mar Morto
Segundo o Partido do Só Dá Bosta, o Partido dos Traidores elevou em 8.000% o custo total da obra, que promete ligar nada a lugar algum.

O presidente da facção, Ruim Facão, rebateu. “A gente cobra o preço de tabela. Não dá pra extrapolar porque o sindicato dos Ladrões, Larápios, Safados e Sem-vergonhas e Afins [Sindilalasase e A] é muito atuante. É só por isso que a gente não pediu mais.”

Diante do presidente dos Traidores, Aédys, o mais aguerrido líder do PSDBs, foi enfático: “roubou, sim, seu bobo”.

Octógono
Ao notar que estava no meio das duas excelências ali mesmo no octógono do Congresso, a reportagem de A Primeira Vítima se lembrou de uma prática comum para dirimir conflitos. Dando um passinho para trás e esticando o braço entre os dois, propôs: “quem for homem cuspa aqui na minha mão...” Ambos não titubearam, desferindo aquela catarrada. E o pau quebrou.

Refeitos do embate, que durou cerca de nove minutos – com intervalo de dois para as orientações dos respectivos treinadores –, os nobres colegas tentaram convencer a reportagem sobre quem havia vencido. Mas, por uma questão de justiça, ambos foram declarados perdedores, azedando ainda mais o clima. “O legal é quando tem morte”, expliquei. Eles, então, retomaram a troca de catiripapos.

A Polícia do Congresso se mobilizou e interrompeu o debate a tempo de mantê-los vivos, para desgosto do repórter que foi procurar algo mais divertido pra fazer. “O legal é que isso acontece todos os dias aqui”, contou um agente que quis se identificar, mas só de sacanagem, por barrar a diversão alheia, não vou dizer o nome dele.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Cinema de Primeira: "O Abutre"

Filme emociona por se manter fiel à realidade

O ator Jake Gyllenhaal que deu vida a Louis Bloom
    
Louis: um exemplo a ser seguido”, diz Gyllenhaal
 
“Um ídolo”, revela Safena
 
“Sem dúvida, o melhor entre nós”, conta Sedento
 

DO CINEMA, COM CARTEIRINHA FALSA DE ESTUDANTE

Enriquecendo a agenda cultural, a coluna “Cinema de Primeira” trará para os seus assinantes resenha semanal de um filme escolhido a dedo pela equipe d'A Primeira. A película da vez é “O Abutre”.

Baseado em fatos reais, o filme traz com rara exatidão a história de Louis Bloom Mor Horelhãns, jovem empreendedor – vivido magistralmente por Jake Gyllenhaal – que descobre no jornalismo televisivo sua verdadeira paixão e, mais, a sua inegável vocação.

Bloom atualmente é proprietário de uma das mais importantes redes de TV dos Estados Unidos. O filme mostra todos os segredos desse grande profissional para conseguir o que popularmente é chamado de “chegar lá” dentro de um ramo extremamente concorrido como é a cobertura do jornalismo chamado “policial”.  

O diretor Dan Gilroy não se furtou em rechear com diversos exemplos a trajetória de sucesso de Louis Bloom desde o “começando de baixo” até o coroamento total. “A história é tão rica que não vou me surpreender quando for adotada como vídeo motivacional para qualquer atividade profissional”, confidencia Gilroy.

Entre os diversos exemplos, está um que é capaz de arrancar lágrimas até mesmo do mais insensível psicopata. Após uma original perseguição policial, o carro do vilão capota. Tomado de toda uma generosidade, Loius humildemente convida seu assistente para registrar os detalhes do acidente. “Toda vez que relembro esse momento, me emociono muito”, revela o consagrado periodista.
 
Dois dos principais apresentadores de programas policiais vespertinos deram seu depoimento à coluna. “Posso dizer com todas as letras que Bloom é a minha inspiração”, relata José Luiz Safena. O colega de Safena, Marcelo Sedento, acrescenta: “sempre que tenho alguma dúvida de como proceder como jornalista me guio pelos sábios ensinamentos deixados por Louis”.

ficha técnica
título original: “Nightcrawler”
no Brasil: “O abutre”
direção: Dan Gilroy 
com: Jake Gyllenhaal, Rene Russo, Riz Ahmed, entre outros
gênero: drama 
classificação de Primeira: excelente!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

ENQUETE APV: crise hídrica em SP

Do que você sente mais saudade dos tempos em que havia água em SP? Deixe sua resposta nos comentários!
De poder comer quantos miojos quisesse, sem ter que se lembrar da cara de pamonha do Alquimim, nem se penitenciar pela quantidade de água utilizada na confecção da iguaria
De poder tomar aquele despreocupado banho demorado a dois, com ajuda do Boston Medical Group
De não ter que se preocupar com quantas descargas teria que dar para fazer descer o "pacote"

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Associação de universidades privadas faz lobby contra aplicação do exame do CRM a médicos cubanos

Governo Youssef teria decidido submeter os profissionais cubanos à prova do Conselho após protestos das entidades de classe de servidores da saúde


Fontes anônimas entregaram à reportagem de A Primeira vídeo de reunião secreta entre representantes do Sindicato das Universidades Privadas, o Sinprivadas, e funcionários do Ministério da Saúde na qual os “educadores” pedem que o Governo desista da ideia de aplicar o exame do CRM aos médicos trazidos de Cuba no Programa Mais ou Menos Médicos.
O Governo havia tomado a decisão de examinar os profissionais caribenhos após as seguidas críticas dos médicos brasileiros, os quais alegam que os estrangeiros têm formação deficiente e roubam vagas em que os agentes de saúde brasileiro não têm o menor interesse.
Um Diretor do MS, que pediu sigilo de sua identidade, disse que seria “um cala boca nesses médicos pretensiosos, filhos das classes privilegiadas, todos loiros de olhos azuis”.
O Governo, porém, não contava que fosse enfrentar o lobby feroz do Sinprivadas. Um representante do Sindicato, que também pediu reserva de sua identidade, declarou: “E se esses supostos médicos cubanos passam nessa prova? Não podemos descartar que 1 em cada 10 desses retirantes caribenhos passe. Só isso já seria melhor que nossos estudantes que se formam todo ano.”
A gravação recebida pelo Primeira termina no exato momento em que o emissário do Sinprivadas pregunta ao funcionário do MS: “Doutor, eu queria saber como eu posso te ajudar a me ajudar?”O que se sabe é que aideia de aplicar as provas aos cubanos não prosperou.
Seu José Antônio, morador do município de Quiprocó, no interior do Piauí, que recebeu atendimento de um mais ou menos médico cubano, comentou o caso. “Se esse rapaz que fala enrolado aqui que me atendeu é bom ou não, não sei dizer não senhor. A mim me falta a base de comparação, porque assim de médico mesmo, inteiro ou mais ou menos, é o primeiro que eu vi na vida.”
A reportagem esclareceu que o cubano não tinha sido aprovado pelo CRM (e deu muito trabalho explicar o que era CRM), mas tranquilizou seu José para o fato de tampouco que os médicos da capital, nem mesmo em SP, costumam passar na prova do CRM. Aí Seu José respirou aliviado. “O importante é saber que estou sendo tratado aqui por um ser humano profissional tão mais ou menos de bom que nem o lá do sul mesmo!”

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Mais um grampo de araponga exclusivo d'A Primeira Vitima!!!!

- Câmara dos Deputados, bom dia, alô?
- Estou. Aqui vos fala o Embaixador de Portugal. Com vossa vénia, gostava falar ao novo Presidente da Câmara, Sua Excelência o Deputado Eduardo Cunia, para cumprimentos.
- Como é?
- Sou o Em-bai-xa-dor de Por-tu-gal. Queria dar os pa-ra-béns ao Dr. Cu-nia.
- Ah, Embaixada? Embaixada é com o Segundo Secretário.
- Segundo Secretário? Mas sou o Em-bai-xa-dor de Portugal...!
- Ah, relaxa. Aqui é assim. A Dirma lá não recebe, nós também é que nem. Se quiser, é com o Segundo Secretário.
- Vá lá, va lá. Passe-me o sujeito.
[musiquinha de elevador]
- Alô?
- Estou. Senhor Deputado? Fala-vos com muito gosto o Embaixador de Portugal! Queria dar os cumprimentos à Mesa da Câmara, e o faço por intermédio de Vossa Excelência, em razão da recente eleição.
- Ô, Embaixador! Que simpatia a sua telefonar! Por acaso, lá no Rio tem muito tuga que votou em mim, sabe qual é? Sempre gostei de bolinho de bacalhau, a galera conhece.
- Queira transmitir meus cumprimentos ao Dr. Cunia, faz favor.
- Cunia? Não, senhor, o senhor deve ter enganado. Meu chefe é o Qasabi. Embaixador, quem sabe, sabe! Aliás, o senhor não quer convidar o Qasabi pra uma festinha, não? Ele gosta muito de festinha, de presunto, de kibe. Acho que gosta de bacalhau também.
- Veja, deputado, com todo o respeito, Portugal não é só bacalhau. Mas vou pensar no convite ao Ministro Engenheiro, vá lá?
- Ô, Embaixador, tranquilo. O senhor não me arruma umas garrafinhas de Porto, não? Tô com umas candidatas a estagiárias aqui... O senhor tem que ver que beleza. Mas falta combustível...
- O deputado me desculpe.
- Fiquei com essa função, brother, opa, perdão, Embaixador. Queria cuidar de recibos médicos, que dá grana... Mas isso, descobri agora, é pro segundo vice-presidente. O meu é estagiária, embaixador...
- Ah, sim? Em Portugal, quem cuida de recibos médicos é o médico.
- Aqui não. Imagina um negócio desses! Quem cuida de dar recibo pra gente é deputado. O segundo vice. Claro. Aí a gente aproveita, troca o recibo, e ainda faz junto aquela fezinha no bicho, sabe?
- Bicho? Em Portugal, as atribuições do Segundo Vice-Presidente são as de administrar a Assembleia, tão somente.
- Sabe nada... Aqui, quem administra é o Primeiro Secretário.
- Em Portugal Primeiro Secretário tem pouco valor.
- Aqui vale muito! Ah, o Embaixador não queira imaginar! Licitação atrás de licitação, ele que controla. Sorte nossa que meu colega que se elegeu Primeiro Secretário tem experiência no ramo. Já foi prefeito, fazendeiro. Tá acostumado a fazer o pessoal trabalhar pesado.
- Pois. De curiosidade, sua Excelência não mencionou o primeiro vice, nem o terceiro secretário. O que fazem?
- Ah, muito importante. O primeiro vice é quem assina requerimentos. Ele é quem pode ir tomar chopp com o Sarney no fim da tarde, sabe? Pra pegar umas orientações, umas experiências. Já o terceiro secretário, secretária agora, é quem troca nossos recibos de transporte. Quem garante nossos voos, né? E as milhas, que deputado nenhum é de ferro...
- Tá muito bem, senhor deputado. Queria agradecer-vos a atenção e recomendar-vos nossa empresa aérea. Acho que entendi melhor como funciona o legislativo brasileiro. Muito interessante mesmo.
- Eu curto à beça, gente boa. E nem mencionei o meu colega que se encarrega de distribuir apartamentos, o quarto secretário.
- Ah... Então por acaso deputados distribuem imóveis também?
- E o senhor acha que alguém muda pra Brasília, esse fim de mundo, e paga aluguel? Nem o senhor paga, nem nós!
- Em resumo, para ver se entendi bem: o Primeiro Vice toma chopp. O Segundo Vice distribui recibos médicos e centraliza o jogo do bicho. O Primeiro Secretário organiza licitações e põe a malta para trabalhar pesado. O Segundo Secretário, Vossa Excelência, assina passaportes e escolhe as estagiárias. O Terceiro Secretário, cuida entretanto de reembolsos de viagens. E o Quarto Secretário dá apartamentos de graça.
- O Embaixador é português, mas aprende rápido!
- E quem então faz vossas leis?
- Leis? O Embaixador quer dizer Medida Provisória? Ah, é com o Executivo. Não tenho nada com isso. No máximo um nomezinho de rua, a decretar um feriado, às vezes um retalhozinho na Constituição. Aí é com a gente.
- Magnífico, Deputado, vosso sistema. Fascinante. Adeus.
- É isso aí, camarada.



sábado, 31 de janeiro de 2015

FRASES DE PRIMEIRA: Dois Ministros muito loucos!

O Ministro da Fazenda, Joaquim Jatevi, e o ex-futuro Ministro da Fazenda, Alcindo Praga, protagonizaram curiosa discussão pública, que não passou despercebida aos olhos da seção Frases de Primeira.

Num dia, Praga declarou:

“Faríamos tudo igual, mas muito melhor.

O ex-acadêmico, ex-Diretor do Banco Central, ex-banqueiro e ex-futuro ministro referia-se, críticamente, à política econômica do Ministro Jatevi.

Possivelmente aconselhado por marqueteiros profissionais a não levar desaforo pra casa, Jatevi declarou, no dia seguinte:

 Fazemos tudo igual, mas diferente.

O Ministro, conhecido por muitos banqueiros e leitores da revista Veja-se como uma “ilha de excelência em meio a um mar de petralhas”, fazia referência ao suposto programa de governo do candidato de Praga, Eácio Naves.

Pegou mau para Jatevi, porém, porque certos setores da militância ultraesquerdista do PTr – gente que tem “a cara de pau de querer melhores salários e ser contra a recessão”, nas palavras da revista Veja-se – ficaram inclinados a acreditar que Jatevi referia-se à relação entre as promessas de campanha da Presidenta Youssef para a economia e a política austera implementada por ele próprio.

Nova proposta estética surpreende meio político

Senador lança visual inédito com olho em 2018

Aédys, em seu momento ternurinha 


Com talento único para farejar os melhores rumos para a sua carreira, o ex-candidato e atual derrotado à presidência senador Aédys Nevys, do PSDBs (Partido do Só Dá Bosta), surpreendeu o meio político ao aparecer com novo visual: uma barbinha que é uma gracinha.

“Vencer as próprias eleições vai ser barbada”, previu o confiante senador. Após exatos quatro segundos, todo o seu estafe, impactado pelo hábil trocadilho, caiu na gargalhada, puxada por um dos principais amigos de Nevys, o também ex-candidato e eterno derrotado à presidência senador Josué Cerro (PSDBs-SP).

O próximo parágrafo é um oferecimento das lâminas de barbear Face de Primeira, produto licenciado pelas Organizações APV. Para um barbear rápido e seguro, use sempre as lâminas Face de Primeira, à venda nas melhores casas do ramos. Evite imitações. Originais, só as lâminas de barbear Fa-ce-de-Pri-me-i-ra!

Aédys negou, mas a reportagem d’A Primeira apurou que a nova proposta estética integra uma poderosa ação de marketing subliminar para confundir o eleitor em 2018. “Pesquisas revelam que o pessoal vai votar pra presida num sujeito que ficou conhecido pela sua barba”, explicou um auxiliar administrativo do escrito de Nevys.

Branquinha
Seguindo a dica do auxiliar de Nevys e o Manual de Redação de APV, a reportagem foi atrás outro lado, que se encontrava em descontraída conversa num bar em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

“Fala, companheiro, o que você qué sabê?”, recepcionou Lulla da Síria do PTr (Partido dos Traídores). “O Aédys tá te copiando...” “Que nada, o meu negócio é a branquinha...”, respondeu o cambaleante Lulla. “Não, não. Está plagiando a sua barba...”, indicou a reportagem. “Porra, aí é foda. Só tomando mais uma pra aguentar esse tipo de disparate da oposição”, indignou-se da Síria.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

SP abrigará exposição “Minúsculos”

Mostra promete maravilhar até mesmo o visitante mais bem preparado

   Deitado eternamente em berço esplêndido...


"Minúsculos" já atrai milhares de pessoas


Cientista gostosa testa super microscópio

DA BARRAQUINHA DE CHURRASQUINHO GREGO NA ESTAÇÃO DA LUZ

Depois do estrondoso sucesso da exposição “Gigantes”, com obras hiper-realista do artista australiano Ron Mueck, a Pinacotreta de São Paulo abrigará “Minúsculos”, mostra ultra-realista . “Os temas são todos expressão máxima de nossa brasilidade”, sintetiza a curadora Sofia Bergberg Mor Horelhãns. Acompanhe os principais trechos da entrevista concedida durante tradicional almoço familiar.

A Primeira Vítima: Quem são os artistas convidados?
Sofia Bergberg Mor Horelhãns: Todos os brasileiros, residentes aqui e no exterior. Não escapa ninguém.

APV: Como se deu a escolha dos temas?
Bergberg: Pelo grau de dificuldade da visualização. Quando menor a obra, mais o artista aumentava suas chances de ganhar um espacinho na mostra.

APV: Poderia citar alguns dos principais motes?
Bergberg: Os temas são muito familiares. Demos preferência àquilo que qualquer um de nós já ouviu falar, mas nunca teve a oportunidade de ver de perto. As criações independiam de classe social, cor, credo, preferências sexuais ou time do coração. Bastava ser brazuca.

APV: Poderia citar alguns exemplos?
Bergberg: Claro, com todo prazer. Entre as obras de dimensões inimagináveis minúsculas, estão o PIB nacional, a educação (escolar e, sobretudo, a recebida em casa); a vergonha na cara – o que nos deu um especial trabalho para identificá-la; a ética – dessa a gente quase desistiu, mas aos quarenta e oito do segundo tempo localizamos os fósseis em nossa última expedição por Brasília. Me lembro muito bem do dia: toda a equipe ficou muito emocionada, nos ajoelhamos e agradecemos a Deus por aquele achado precioso. E, vale destacar ainda, na área esportiva, não poderia faltar o futebol nacional contemporâneo (nesse momento a reportagem engasgou) – calma, eu sei do que você se lembrou...

APV (em processo de recuperação): Quais foram os principais desafios vencidos para tornar “Minúsculos” uma realidade?
Bergberg: O principal deles, sem sobra de dúvidas, foi obter os equipamentos necessários para a visualização completa das obras até então supostamente existentes. Durante todo processo de prospecção, mantivemos conversas com os mais renomados cientistas mundiais. Não sei por que, mas muitos desistiram, mesmo com os vultosos recursos oferecidos pela Fundação Mor Horelhãns. Mas um grupo abnegado conseguiu criar um microscópio tão potente, mas tão potente, tão potente, que é capaz de dar detalhes da partícula de Bóson de Higgs, a partícula de Deus. E como Deus é brasileiro...

APV: Essa exposição tem tanto culhão assim para bater “Gigantes”?
Bergberg: Não tenho a menor dúvida disso...

APV: Por que  tanta certeza?
Bergberg: Simples. Por que você acha que uma pessoa vai a uma exposição, seu tolinho? É pra tirar selfies. E como o brasileiro nunca desiste, quero estar lá pra conferir de perto o desgraçado que vai conseguir tirar a porra da foto.

“Minúsculos”
Onde: Pinacotreta, Praça da Luz, 2 - Luz, São Paulo.
Quando: de 30 de fevereiro e vai até 29 do mesmo mês de 2016.
Horário: das 10h às 20h; às quintas até as 22h.
Quanto: o valor do ingresso é a combinar, mesmo porque muita gente vai pagar pra ver...
Curadoria: Sofia Bergberg Mor Horelhãns
Apoio Cultural: Fundação Mor Horelhãns

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Urgente: A Primeira Vítima obtém escuta telefônica do Palácio da Planície

Veja, ops, não, Leia a degravação interpretativa

DA REPORTAGEM, QUE AINDA ANDA NAQUELA PRAÇA QUADRADA.

 - Alô

- Alô.

- É o Alex?

- Sim. Quem fala?

- Ô Alex. Aqui é o Mercadente. Sou seu fã. Tudo bom?

- Mercadente, o da Casa Civil?

- Eu pedi pra Chefe mudar o nome para “Castelo Civil”, que eu acho mais adequado. Mas, por enquanto, é casa mesmo.

- E o que o senhor quer comigo? Quer falar do Bonsenso?

- Ah, tinha até me esquecido... Você tá metido nisso aí também, né?

- Metido não é bem a palavra, Ministro. O senhor me perdoa, mas sou um cara na minha. Só faço meu serviço. Quero o bem do futebol brasileiro.

- Eu sei, eu sei. Lembro bem no Palmeiras. E sei que na Turquia você virou uma espécie de príncipe. Todo mundo te respeitava. Os homens te achavam o máximo. As mulheres, um luxo. Mais ou menos como eu queria que fosse comigo por aqui... Em 2018...

- Não tô entendendo. O senhor ligou pra quê?

- Alex, lembra daquele ponto eletrônico que o Luxoemburgos usava em você, na época do Parmeiras?

- Não era em mim, não, chefe. Era no Ricardim. E não era no Parmeiras, era no Corincha.

- Ah, me enganei.

- Mas diga.

- É que andei instalando um sistema da mesma marca na orelha de alguns ministros. Ordens da chefe. E ordens são ordens. Só que o troço não tá funcionando direito. Queria o telefone da assistência técnica, não acho, e o Luxoemburgos não me atende...

- Imagino.

- Aí te confundi com o Ricardim, pedi o número pra minha assessoria. Me desculpa. Achei que fosse saber.

- Que é isso. Mas não sei, não. Pena. Queria conversar com o senhor mesmo, sobre o Bonsenso.

- Bonsenso, né? Ah, fica pra próxima.

- Tá bom.

- Boa sorte pro Coxa Branca, tá? Sempre gostei de Coxa. Branca, pode ser, também... Coxinha não: Coxa. Né? Coxinha agora pega mal... É coisa de tucano. Você não é tucano não, né Alex?

- Não senhor. Tchau.


Série profissões: assessor legislativo

Repare bem, neste domingo, naqueles papagaios de pirata

DO ENVIADO ESPECIAL À REPÚBLICA AUTÔNOMA DO BURITIS

"De um lado, a legitimidade intocável dos representantes do povo. Do outro lado, a lei."

Assim define seu trabalho um assessor legislativo que, como a maior parte das fontes d'A Primeira Vítima, preferiu não se identificar.

Neste domingo, o Brasil vai ser invadido por imagens da eleição para a sua casa do povo. Mas nós, do lado de cá, queremos é revelar para você, leitor, quem são aqueles carinhas que ficam carregando pastas ao lado dos deputados. Às vezes, dando a letra do que eles têm que falar.

Os salários são bons, gordos mesmo. Despertam invejas nos outros poderes. As instalações contam com barbearia, lanchonete (que vende "à prazo"), correios, gasolina na vasca. As impressoras são fartas; os escritórios, meio quentes e barulhentos (Nyemeyer não acertava sempre...). As férias são vastas. O horário de trabalho, irregular.

"Mesmo assim, escreve aí, o dia-a-dia é de lascar. Já pensou tu ter que explicar pro Tiririca o que é a Desvinculação das Receitas da União?", comenta um dos expoentes da carreira.

A entrada pode ser por concurso ou por pistolão. "O bom do concurso é a independência. O bom do pistolão é a dependência", resume o diretor do sindicato.

Para os interessados, o Mestrado do Instituto Federal de Upgrade em Direito Institucional (MIFUDI) é considerado a melhor forma de preparação. A outra é frequentar festas e ficar devendo favor pra bastante gente.

As principais habilidades exigidas são: ser discreto, bem apessoado, e saber dar nó na gravata dos outros.

O candidato teve ter: retrato do Ulisses; título de sócio em algum clube; e cópia da Constituição toda amarfanhada e rabiscada.

As inscrições devem ser feitas pessoalmente. De preferência à tinta, com tatuador.



Exclusivo: A Primeira Vítima obtém comunicação oficial do governo


Agora que eles publicaram balanço, nós também!


USPP cria faculdade de doleiro

Aulas de lavagem acontecerão na raia olímpica; utilização de drogas sintéticas esta proibida no local

DA EMBRIAGADA REPORTAGEM LOCAL

Uau! Professora do curso ensina a incrível arte de espalhar dólares na cama

Seguindo um anseio do mercado, a Universidade de São Paulo Privada - no sentido de privatização, e não de m... - (USPP) criou um novo curso alinhado ao sonho de consumo dos jovens brasileiros que querem ganhar cada vez mais dinheiro, e de forma bem rápida: a faculdade de doleiro.

Como não poderia ser diferente, o coordenador do novo curso será o famoso doleiro Roberto Rousseff, que contará ainda com um grupo de ex-amantes (sempre elas) como assistentes. Entre as disciplinas da nova cadeira destacam-se as aulas de Lavagem 1, 2 e 3, que serão ministradas na raia olímpica da USPP. "Mas ninguém poderá utilizar drogas sintéticas nessas disciplinas, pois há risco de afogamento", comentou rapidamente Rousseff ao conversar com a reportagem d'A Primeira.

As aulas de Delação Premiada 1 e 2 e Como ser Internado as Vésperas das Eleições 1, 2 e 3 também compõem o novo curso da USPP, que ganhou a briga com faculdades privadas na corrida para inaugurar a disciplina. Em 2006, a Fundação Ernexto Geizel (FEG) havia criado um bacharelado em Dolarogia, conforme brilhante reportagem escrita por Paco Figueroza, ex-colaborador d'A Primeira (leia a reportagem aqui). O curso, no entanto, acabou sendo reprovado em 2007 pelo Mequi e deixou de existir.

Procurados pela reportagem d'A Primeira, a reitoria da USPP, o Palácio dos Bajulantes e o Palácio da Planície, todos na primeira pessoa, não quiseram se manifestar. Ja a Fudest emitiu nota na qual estima que o novo curso, que disponibilizara 100 vagas, terá concorrência de 50.000 candidatos por cadeira.

Um dos candidatos, um jovem de 19 anos que prefere manter o nome em sigilo - mostrando que já esta se preparando bem para o vestibular - resumiu em algumas palavras o que espera da carreira: "to ansioso, realmente vai ser da hora poder viajar sempre pro exterior, especular pra caralho contra o pais, fazer acordo com os sujos partidos políticos brasileiros e ainda ganhar muita grana fácil, com a possibilidade de ter muitas amantes e de garantir um pé de meia bom com a delação premiada. E tudo isso ainda estudando de graça na USPP. Agora deixa eu ir que tem uma balada boa com camarote pra eu ir ainda hoje".

domingo, 25 de janeiro de 2015

ENQUETE APV: qual o melhor papel higiênico para o seu bumbum?

Deixe sua resposta nos comentários!

OBS: esta nobre reportagem havia colocado como primeira opção um papel higiênico do grande artista Homero Ricco, mas, por algum motivo, a exibição da imagem foi censurada. Seria a volta da ditadura?



sábado, 24 de janeiro de 2015

Marqueteiro Tião Santana Quantum admite que estratégia de comunicação do Governo está equivocada


O Marqueteiro Tião Santana Quantum ganhou fama no Brasil por eleger duas vezes a Presidenta Zilma Youssef e proporcionar vitórias MAIÚSCULAS ao Partido do Traidores. Uma vez reeleita a Presidenta, Santana Quantum afastou-se do Governo e passou a dedicar-se a outros projetos de poder. Em entrevista exclusiva ao Primeira, o marqueteiro critica a atual estratégia de comunicação do Palácio da Planície, admite ter cometido equívocos na condução da última campanha e revela que a verdadeira razão de seu rompimento com o PT e com Youssef foi o fato de a Presidenta ter-se recusado a seguir seus conselhos de que ela deveria ficar calada para sempre. 

A seguir, os principais trechos da entrevista de 27 horas concedida por Santana Quantum ao repórter Zurick Spantus nas Bahamas, para onde o marqueteiro viajou para visitar um caixa eletrônico.

APV: Sr. Marqueteiro, certos líderes dos Traidores insinuaram que sua ruptura com o Governo deu-se porque o Partido concluiu que seu trabalho não passa de uma farsa...
TSQ: Bom, eu acho até engraçado que gente como os Traidores tenham coragem de chamar alguém de farsante, ainda mais sabendo que essa é justamente minha profissão. Mas já está na hora do povo brasileiro saber de uma vez por todas porque deixei o PTr. A verdade, mas a verdadeira mesmo, é que a Zilma se recusou a aceitar a melhor recomendação que eu lhe dei, logo após a eleição. E eu não aceito não como resposta. Só trabalho para quem acredita 100% nas minhas farsas e fraudes.

APV: E qual foi essa sua recomendação?
TSQ: Antes de contar, eu preciso explicar que, no meu campo profissional, não há espaço para o que as pessoas imaginam. Elas acham que nós trabalhamos com talento, intuição. Os marqueteiros bons de verdade trabalham com ciência. Gastamos fortunas com pesquisas para saber o que o povo quer ou não quer ouvir. Analisamos experiências de farsas do passado e também de outros países. Quando chegamos a indicar um caminho, é porque ele é certeiro; trata-se da melhor farsa possível. E foi isso que eu sugeri à Zilma uns meses atrás.

APV: E você não vai nos contar o que foi, homem?
TSQ: Eu disse pra ela que o certo era que ela não falasse nunca mais. Avaliando todos os cenários, tive, há alguns meses, a epifania de que a política dos discursos morreu, tal como já havia morrido antes a política do diálogo. O futuro é a Política do Silêncio. E a Zilma tem todo o talento para surfar essa onda. Todo mundo sabe que ela é uma mulher "pós-discurso". Parece uma adolescente da era dos chats, não fala uma frase inteira.

APV: E ela simplesmente se recusou a te ouvir?
TSQ: Na verdade, eu acho que fui boicotado pelos caciques tradicionais do Partido dos Traidores. Eles são gente muito conservadora. Obcecados com a política do discurso. Não entendem que isso está acabando. Que Hugo Chapolim e Fiel Castrado ficaram no passado. Até a Viuvina do Kirchner, na Argentina, já está deixando o discurso de lado, e experimentando comunicar-se só pelas redes sociais. É um sinal dos tempos.

APV: Se está tão convencido de que está certo, por que não brigou por suas ideias e enfrentou o PTr?
TSQ: Quem disse que eu não fiz isso? Quando me fecharam a porta, eu tentei entrar pela janela, meu amigo. Disseram que a Presidenta tinha que continuar se comunicando. Eu respondi: tudo bem, mas só se for exclusivamente pelo Twitter. Eles quase toparam, mas aí um deles se deu conta da minha artimanha. Ele disse: "Peraí, mas no Twitter só entram 140 caracteres!". E eu retruquei: "exatamente". E ele devolveu: "Mas a Presidenta começa todas suas frases com ´Em primeiro lugar, eu gostaria de... Oh, meu querido...´ Só isso já são quase uns 60 caracteres. Não sobra espaço para falar nada depois disso." O cara não entendeu que era justamente essa minha ideia, não deixar ela falar nada.

APV: E o que o político que não fala nada ganha?
TSQ: Tudo! Como é que vão chamar de mentiroso o cara que não disse nada? Como é que vão cobrar suas promessas? Na minha terra, tem um ditado que diz que o peixe morre é pela boca! Essa estratégia é infalível. Até um tempo atrás, a gente fazia pesquisas de opinião e apurava que as pessoas queriam ouvir coisas que os políticos profissionais não querem fazer, como governar, procurar melhorar o país etc. Aí, os caras diziam isso. E gente contava que o povo esquecia. Mas as pesquisas mais atuais revelam que uma parcela crescente da galera resolveu começar a lembrar.

APV: Quantos lembram?
TSQ: Minha última enquete indica 12%, portanto algo entre 5 e 19%, considerando a margem de erro de 7 pontos para mais ou menos. E esse numero tá aumentando. A gente imagina que em 4 anos, na próxima eleição, Já poderá estar entre 10 e 24%.

APV: E os Traidores nessa história?
TSQ: Minha opinião profissional é de que eles estão fudid...!

APV: E agora que o senhor perdeu a boquinha dos Traidores, pretende fazer o que da vida?
TSQ: Por agora, pretendo escrever um livro de memórias, plantar umas árvores, lavar um dinheiro e curtir minha família. No futuro, pretendo trabalhar pro Gerardo Aidimin. Acho que ele é um cara que sempre teve um potencial imenso para a Política do Silêncio. Tem isso instintivamente. Ganhou 44 eleições sem falar nada! E agora parece estar precisando de um conselho. Está louco! Resolveu admitir que falta água! Tá provado que o que a população de SP e do mundo não quer ouvir noticia ruim. Dos políticos, eles preferem é não ouvir nada. O cara sabe disso, mas parece que cedeu a seus instintos mais primitivos de político. Resolveu aparecer! Tem cabimento? Quando político se assanha, resolve mostrar a cara, assumir qualquer responsabilidade, é quando ele mais precisa de ajuda profissional. Tá perdido!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

ENQUETE APV: obrigado, Gerardo!

Se tivéssemos água em abundância em São Paulo, qual das piscinas abaixo você escolheria para o governador Gerardo Aidemim nadar por toda a eternidade? Deixa sua resposta nos comentários!