sexta-feira, 13 de janeiro de 2006

Shanon mexe a barriga, flatula e reage a "cosquinha" de repórter

De Jerusalém, com colaboração de enfermeiro local

O primeiro-ministro de Israel, Gabriel Shanon, continua sua impressionante recuperação após o grave derrame sofrido no dia 4. Apesar de estar sob coma induzido, nos últimos dias ele apresentou reações de suma importância para a manutenção da ordem geopolítica no Oriente Médio. Uma delas foi mexer a barriga. “É algo realmente considerável, pois seu avantajado ventre representa quase 90% da massa corpórea”, afirmou o neurocirurgião argentino Gato Félix Jumanji.

O deslocamento adiposo de Shanon provocou pequenos tremores nas imediações do Hospital Kibutz, em Jerusalém, matando quatro palestinos e deixando dezenas de feridos. Para as autoridades israelenses, porém, isso não é motivo de preocupação: “Todo dia morrem uns dez daqueles lá”.

Sem se identificar, um enfermeiro que está cuidando do obeso premiê revelou à Primeira Vítima que Shanon já flatulou por diversas vezes, mas essa resposta orgânica foi omitida pelos médicos. “Deve ser porque ficou um cheiro de porco no quarto”, disse o auxiliar. Opositores de Shanon sempre o acusaram de comer pernil escondido à noite, o que é terminantemente proibido a um judeu. A comida teria sido levada ilegalmente ao hospital por seus filhos e injetada em forma líquida em seu tubo de alimentação.

O político também demonstrou resposta a um estímulo inusitado: ele se arrepiou todo quando a intrépida repórter deste noticioso entrou furtivamente no quarto (com ajuda daquele mesmo enfermeiro que não quis se identificar) e lhe fez cócegas no pé. Naquele instante, todos os jornalistas acompanhavam atentamente a milonga coletiva concedida todos os dias pelo cirurgião argentino. A Bolha de S. Paulo também tentou entrar no quarto, mas não havia conseguido convencer o enfermeiro até o fechamento da reportagem deles.

Um comentário:

Ana Daltro disse...

ARRASOU! Adorei, hahaha... Sensacional!