sábado, 17 de junho de 2006

MMLST ocupa Câmera e já prepara primeira colheita de emendas no Orçamento

Depois de invadir mais um latifúndio improdutivo, sem-terras esperam safra recorde de abobrinhas

Manisfestantes sem-terra aprovam relatório final da CPI do Caralho a Quatro durante ocupação do Congresso


DO ENVIADO ESPECIAL A BRASÍLHA

Centenas de integrantes do MMLST (Movimento dos Trabalhadores Muito Loucos Sem-Terra) escaparam da prisão após a invasão da Câmera de Congressistas e ocupam até hoje alguns gabinetes da casa do povo brasileiro.

Depois do quebra-quebra causado por 400 sem-terra durante a invasão da Câmera, na semana passada, quase todos os líderes do movimento foram presos. Mas um grupo de 300 militantes, na estimativa do próprio movimento, conseguiu escapar da perseguição das forças de segurança e resiste até hoje em barracas de lona preta instaladas na frente de algumas salas do Anexo II da Câmera.

“Vamos plantar abacaxi, pepino e abobrinha”
Um dos líderes, identificado somente como Carlos, classificou a Câmera como “o maior latifúndio improdutivo do Brasil”, e prometeu continuar resistindo. “Nós agora vamos produzir também, porque o solo daqui é bom, dá pra plantar abacaxi, pepino e abobrinha”, prometeu. Analistas apontam que a abobrinha terá uma safra recorde até outubro – a colheita de abacaxi e pepino reiniciará seu ciclo em janeiro de 2007.

Ao mesmo tempo em que terminam o plantio, os agricultores resolveram adiantar a produção legislativa da Câmera. “As coisas por aqui estavam muito abandonadas, o trabalho todo parado. No tempo livre, os companheiros estão tocando umas comissões, aprovando uns relatórios e votando umas emendas”, explicou um dos sem-terra que informalmente passou a presidir a Comissão de Constituição e Justiça. “O importante é ocupar, resistir e produzir”, frisou.

Até o momento, nem o governo nem a oposição fizeram qualquer ação para impedir o adiantamento irregular do trabalho legislativo. “Os sem-terra já estão quase acabando o Orçamento de 2007, depois é só a gente colocar umas emendas e aprovar”, confidenciou um deputado da bancada letargista.

Consultados sobre a ocupação, a Central de Segurança da Câmera dos Congressistas não quis se manifestar. “É que vai começar Vladvostok X Borneo”, explicou um segurança que assistia à Copa do Mundo em frente aos telões digitais recém-instalados nos corredores do Congresso.

3 comentários:

João Pedra Estilo disse...

Somente um noticioso como A Primeira Vítima poderia publicar uma matéria imparcial e produtiva!

annie disse...

Fantástica!

Anônimo disse...

Muito bom. O de cima já é mais crônico.