sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

Polícia prende Papai Noel

O Bom Velhinho foi interceptado em pleno vôo; o objetivo é desmantelar esquema de tráfico de influências

A Polícia Faz-Geral prendeu no início da tarde de hoje (23) o Papai Noel, além de dois assistentes dele. Na operação, batizada de Ho! Ho! Ho!, foram apreendidos um saco, o trenó do Bom Velhinho e oito renas, que trajavam camisetas de um clube de futebol da capital paulista. A prisão ocorreu no aeroporto de Brasília.

“As investigações começaram depois do escândalo do mensalão. As roupas vermelhas e aquela barba eram indícios suficientes para provarmos a participação do patife no esquema”, disse o delegado da Polícia Faz-Geral (PF-G), Convicção Plena Jr.

Cartas interceptadas pela PF-G mostram claramente o tráfico de influências realizado pelo Papai Noel. Segundo Plena Jr., o esquema consistia em receber pedidos e atendê-los prontamente mediante pagamento de propina. “Muitos acreditavam no Papai Noel e pagavam antecipadamente”, conta o delegado.

A Primeira Vítima teve acesso com exclusividade aos documentos e reproduz na íntegra alguns deles, porém sem revelar os autores para não prejudicar as investigações:

CORRESPONDÊNCIA Nº 1

“Meu querido companhero Papai Noel.

Sempre simpatizei com o sinhô, inclusive adotando parte de seu visual. Queria mais quatros anos, mas o pobrema é que tem gente que num qué. Tem jeito ou tá difícil?

Grato.”

CORRESPONDÊNCIA Nº 2

“Ilmo senhor Papai Noel.

É um saco administrar essa cidade (ops, perdoe-me pela expressão). Isso deixa qualquer um doido. Mas doido, mesmo, estou para ocupar aquela outra cadeira. O senhor tem alguma saída para que a minha saída daqui não prejudique a minha entrada lá?

Muito obrigado pela sua atenção; passar bem.”

CORRESPONDÊNCIA Nº 3

“Excelentíssimo senhor Papai Noel, o Bom Velhinho, que, diga-se de passagem, está mais para bom do que para velhinho, que é intriga da oposição.

Acompanho o seu trabalho e me espelho muito nele. Sua competência, reconhecida no mundo todo, inspira-me todos os dias. Gostaria de dar continuidade ao meu excelente trabalho (viu como sou um bom aluno), porém desta feita em nível nacional. Aguardo sua competente resposta.

Cordiais saudações, daquele que faz questão de dar os sinceros parabéns pelo excelente trabalho realizado com tanta competência.”

CORRESPONDÊNCIA Nº 4

“Papai Noel

Entrei numa roubada, no sentido mais amplo da palavra. Recorro ao senhor na esperança de reaver parte dos ‘empréstimos’ feitos àquela entidade. Coisa pouca: cerca de R$ 100 milhões. Claro que o senhor será lembrado tão logo atenda ao meu pedido. Aproveito a oportunidade para convidá-lo a vir comer uma iguaria sem igual de minha terra: o pão de queijo. O “trem” é bom demais, sô!

Desde já agradeço por adiantar o meu lado.”

Além do tráfico de influência, o Papai Noel responderá por desacato à autoridade. “Quando o abordamos, ele disse para termos calma, pois estava de saco cheio”, afirmou o delegado do PF-G. O advogado do Bom Velhinho, Deixa Comigo, disse que vai entrar com pedido de habeas corpus. “É um absurdo cercearem o direito de milhões de criancinhas à presença do Papai Noel.” E, indignado, indagou: “Cadê o espírito natalino?”.

Ação Conjunta
A operação Ho! Ho! Ho! contou com a parceria da Esforça Aérea Brasileira (EAB). O trenó do Papai Noel adentrou o espaço aéreo nacional às 13h36, horário de Brasília, onde teria participação garantida nas festividades de fim de ano, como a convocação extra dos parlamentares.

Assim que os radares do sistema de defesa brasileiro detectaram o trenó, oito caças F-8512 da EAB decolaram para interceptá-lo. O clima ficou tenso. Um dos pilotos disse: “Papai Noel, de um jeito ou de outro o senhor vai descer. Escolha!”. O Velhinho, desesperado, pediu para fazer uma ligação, de celular, o que é proibido em vôos comerciais, e decidiu pousar.

A equipe do delegado Convicção Plena Jr. já estava de prontidão na pista do aeroporto. O advogado do Papai Noel chegou minutos depois da prisão. Por questões de segurança, a reportagem d’A Primeira não pôde falar com o preso. Os assistentes estavam visivelmente emocionados e não puderam gravar entrevista.

O saco e o trenó foram levados para a sede da PF-G e as renas encaminhadas ao zoológico da cidade. Convicção Plena Jr. não soube explicar a razão de os animais estarem com a camiseta do tal amado clube brasileiro. “Não entendo nada de veadagem”, disse.

4 comentários:

Anônimo disse...

Fantástico!!!!!!!

I disse...

Um dos melhores do ano

Janis Jopli disse...

HAHAHAHAHAHAHA.. vc se superou.
Muito bom, cherry!
Beijinho da sua fiel, antenadíssima, fashion e mudeeerrrrrna leitora,
Janis Jopli (modelo, atriz e promoter).

Ana Daltro disse...

Muito boa! Hehehe...