terça-feira, 30 de maio de 2006

DICAS DE PRIMEIRA: Música

Chega às melhores casas do ramo mais um lançamento de sucesso. Trata-se do CD “Eu agasalho!!!”, do consagrado cantor Gaybriel Chabita, fiel colaborador do repórter de A Primeira Vítima Oscar Alho.

Com letras que penetram fundo, Chabita amplia a sua atuação nas artes nacionais dando um tostão de sua voz em cantigas românticas. O repertório tem tudo para animar manifestações na avenida Paulista e adjacências.

Para que o leitor possa sentir mais de perto a força das mensagens, A Primeira selecionou uma das letras de autoria do próprio Chabita, com um parceiro, o que, segundo um office-boy da gravadora, irritou muito Oscar Alho.

Porém, de posse de todo o seu profissionalismo, o repórter cedeu à seção o seu exemplar, o número 1, por sinal, para a foto de divulgação. Confidenciou - com um indisfarsável sorriso meigo - que a letra abaixo foi inspirada na relação fraterna entre os dois.

“O meu canto é”

O meu canto é uma forma
De estender um manto
E agasalhar toda essa gente
Essa tão linda gente a sonhar

O meu canto é o grito de amor
Expressão de ética de um sonhador
É o aconchego e é o vôo livre
É o sorriso e é também a dor

O meu canto é simples
E é despretencioso
É convite a lembrar
A vida de um jeito amoroso

Aos capazes da ousadia
De seguir contra a corrente
A corrente de quem não acredita em gente
A corrente de quem tem medo de amar*

*Nota da Redação: Trata-se da primeira faixa do CD.

5 comentários:

annie disse...

Sensacional o trecho "Com letras que penetram fundo"... HAHAHAHA!

Oscar Alho disse...

Meu querido Olvídio, acho que você confundiu ALHOS com BUGALHOS! Chabita não passa de uma fonte secundária de minhas colunas, sendo que o contato mais "íntimo" que tive com ele foi por telefone. Aliás, sem querer causar qualquer tipo de intriga, quem CEDEU o número do Chabita a mim foi você!!!

Cordialmente,

Oscar Alho, jornalista, nordestino e MACHO (tá, isso é pleonasmo...)

Anônimo disse...

Vcs são homofóbicos, hein?

Anônimo disse...

Sou colaborador d'A Primeira Vítima e contra esse tipo de piada homofóbica. Acho que esse texto passou do limite.

Anônimo disse...

Gostaria de discordar dos últimos dois comments: não vi um grau tão acentuado de homofobia no texto... Onde está o bom humor e a ironia? Mais homofóbica é a posição do Chabita, que esconde sua opção sexual e se esconde atrás de livros. Quem dera todos fossem como o grande ator Ian McKellen (o Magneto), que assumiu sua homossexualidade e ainda ganhou um título de Sir depois disso! Viva às piadas e abaixo à repressão!