sábado, 13 de maio de 2006

Polícia reforça policiamento para proteger a polícia

Determinação partiu do governador Lambo; secretários falam com muita propriedade

Do enviado, na marra, a uma guarita da PM

Como resposta à série de ataques a policiais paulistas, o governador Cráudio “Taturana” Lambo determinou o reforço policial para proteger a polícia de novas possíveis ações. A mais recente série iniciou-se na noite desta sexta-feira (12), com ao menos 55 ocorrências na capital, Grande São Paulo e interior.

Não é a primeira vez que a polícia paulista sofre um esculacho dessa proporção. Várias unidades, viaturas e padarias (sim, sempre há um carro da corporação estacionado nas proximidades) foram alvos de disparos em meses anteriores. Porém, agora, o bicho pegô pra valê: sobrou até para civis, com registro de uma morte e mais 24 de guardas (entre civil, militar e metropolitana).

Os secretários
O secretário de Insegurança Pública do Estado, Salvo Engano Filho, diz estar seguro de que “todas as providências serão tomadas”. Porém não adiantou quando, como e o que será feito. A reportagem d’A Primeira insistiu em saber e foi convidada a se retirar do local onde ocorria uma coletiva. Deu um jeitinho e voltou depois.

O secretário de Desorganização Penitenciária, Agashei Furôajaca, criticou as organizações criminosas. “Eles estão muito articulados. Assim não vale.” As 22 rebeliões em curso no Estado, ele atribuiu ao Dia das Mães. “Ninguém gosta de ficar longe de seu genitor nessa data. O pessoal fica muito sensibilizado.”

Após a declaração de Furôajaca, os secretários encerraram a coletiva com o já tradicional cumprimento de mão, aquele bem estalado, tipo norte-americano, em que as pessoas demonstram bastante satisfação no dever cumprido, ao som do famigerado UHHHUUUU
.

3 comentários:

Marcolino, um líder em ascensão, disse...

Tá dominado, tá tudo dominado

ex-pindamonhangabense disse...

O melhor foi ver o Lembo inaugurando obras no final de semana enquanto o mundo acaba no resto do Estado.

annie indignada!!! disse...

Essas são as nossas "autoridades"!