quarta-feira, 11 de outubro de 2006

ELEIÇÕES 2006: Racha no PSBê opõe Nário Guidi e sindicalista Xinelo

Candidato derrotado ao governo de São Paulo, Guidi vai apoiar Alquimim; Xinelo defende reeleição de Lulla

DIRETO DE SANTOS (SP), com hipercodificação de Mara Domingues Gomes (colaborou professor Disseu Lopes)

Guidi e Xinelo: união fraternal do 1º turno acabou em separação litigiosa

O casamento político do candidato a governador Nário Luiz Guidi (PSBê) e do sindicalista Xinelo, que concorreu a uma vaga para deputado federal pelo mesmo partido, acabou em litígio na manhã desta quarta-feira. Contrariando o posicionamento do PSBê, que apóia a reeleição de Lulla, Guidi optou por apoiar Gerardo Alquimim no segundo turno da disputa presidencial. “Fui professor e sindicalista a vida inteira, e não cheguei a lugar nenhum. Quem sabe como neoliberal eu não me dou melhor”, justificou Guidi, que obteve 39.857 votos na disputa pelo governo de São Paulo e agora pleiteia uma vaguinha em Brasília (DF).

“A maioria das personalidades que apoiou o Nário na campanha para o governo de São Paulo está indignada com essa mudança de postura, que pode ser decisiva para a virada de Alquimim”, disse o sindicalista Xinelo, importante liderança do PSBê na região de Santos (SP) e principal cabo eleitoral de Guidi. Como candidato a deputado federal, Xinelo conquistou 21.927 votos, mais da metade do que Guidi obteve para governador.

“Não queremos fazer ameaças, não somos disso, mas o Guidi traiu seu grande contingente de eleitores e amigos, e deve tomar cuidado”, disse uma importante e famosa personalidade-liderança do PSBê no Vale do Ribeira, que preferiu não se identificar com medo de represálias.

A ex-prefeita Luize Erudita, deputada federal mais votada do PSBê em São Paulo, minimizou o posicionamento distinto dos correligionários. “Hoje mesmo vou convidar o Guidi e o Xinelo para tomar um café com pão de queijo no meu apartamento de 30 metros quadrados, único bem que acumulei quando fui prefeita, e tudo se resolverá”, disse a deputada, aproveitando sua semelhança com a bonachona vovó da rede de lanchonetes especializada no quitute mineiro.

2 comentários:

John Renner disse...

Fantástico trabalho de captura de aspas: “Fui professor e sindicalista a vida inteira, e não cheguei a lugar nenhum. Quem sabe como neoliberal eu não me dou melhor”.
Isso mostra todo o drama humano que deu o tom dos últimos quatro anos brasileiros - Guidi já está a um passo de afiliar-se ao PaTê.
E gostei do "off misterioso" da liderança do PSBê do Vale do Ribeira.
Aliás, mande minhas lembranças pra sra. Domingues Gomes.

PF disse...

Graaaaande Xinelo!