segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Debate: Alquimim vomita números em cadeia nacional

Ex-governador subiu o tom de voz, passou mal e deu trabalho para a equipe de limpeza

DOS ESTÚDIOS DO SABADAÇO

O primeiro debate do segundo turno da corrida presidencial foi marcado pela escatologia e quase termina em tragédia. Preocupado em alterar sua costumeira tranqüilidade, o ex-governador paulista Gerardo Alquimim iniciou o programa atacando o presidente Lulla. Com a voz inflamada, punho em riste e fazendo biquinho,Gerardo entrou em parafuso depois que Lulla disse não saber nada de nada de nada de nada.

“Pois saiba, senhor presidente, que no meu governo eu sei tudo o que aconteceu. Nos quase oito anos foram gastos seiscentos e quarenta rolos de papel higiênico, foram consumidos 503.000 grãos de arroz e 1.700 litros de água foram redirecionados para a descarga. Eu e a Dona Jú fizemos sexo por 11 vezes, minha filha vendeu 1.603 peças de roupa na Dasloo e meu filho cabulou 530 aulas na faculdade”.

Prosseguindo neste ritmo pelos 15 minutos seguintes, Alquimim passou mal, chamou o Hugo e logo os números começaram a transbordar pelo estúdio, o que obrigou o mediador do debate, jornalista Boechato, a pedir a entrada da equipe de limpeza. Boechato pediu também que as famílias retirassem as crianças da sala e encerrou o primeiro bloco, chamando os comerciais.

Na volta do intervalo, com Gerardo já recomposto, a equipe de produção informou ao presidenciável tucano que ele havia entrado para o livro dos recordes, com 873 citações numéricas em menos de 15 minutos. Gerardo agradeceu a premiação e emendou: “este é o décimo ano consecutivo das minhas quase seis décadas de vida em que sou premiado. No total deste período, composto por 120 meses e 40 diferentes estações do ano, foram oito condecorações, sete homenagens e cinco convites para festas de formatura”, disse o ex-governador, mostrando estar recuperado.

Nos demais blocos do programa, o tucano ainda insistiu em colocar Lulla contra a parede com perguntas numéricas. “Quanto é sete vezes oito? E oito vezes nove?”. Depois de consultar suas anotações, Lulla mostrou que tabuada não é mesmo seu forte e preferiu falar sobre o Bolsa-Família, as privatizações e sobre o fusquinha do Sindicato dos Metalúrgicos.

Papagaio de pirata e Dia das Bruxas
O vereador tucano Dalson Tilvano ganhou o prêmio papagaio de pirata do debate, depois de tentar aparecer por mais de 20 vezes para as câmeras. Já a ex-prefeita de São Paulo Morta Bistury também foi uma das atrações da noite. Ela antecipou-se aos jornalistas de moda e mostrou seu look com máscara deformada à la Amaral (um olho quase fechado) que usará no Dia das Bruxas. Cada vez mais linda!

2 comentários:

John Renner disse...

Vocês repararam que a Marta tá a cara do Supla?

annie disse...

SENSACIONAL do começo ao fim! Estou sem palavras... Hahahaha!

PS: Tadinho do Sulpa, Mr. Renner! Hahahaha...