quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Depois de censura de seis meses, A Primeira Vítima ressurge!

Ditadura venezo(na)elana impedia repórteres de postarem textos

Chávez discursa: "[A censura d'A Primeira Vítima] foi sem querer querendo"


DO ENVIADO ESPECIAL À CARACAS!

Depois de quase seis meses censurado, o site A Primeira Vítima ressurge. Os repórteres estavam desde junho de 2007 sem acesso ao site devido à censura do governo da Venezonaela.

Os repórteres foram pegos de surpresa durante o fechamento da RCTV (Rede Cháves Television) em Caracas!. “Deixei a folha em que anoto as minhas senhas bancárias e o password do blogger lá dentro, então não dava pra escrever nada”, explicou um jornalista que preferiu não me identifiquei para evitar represálias.

Em desespero, os repórteres haviam tentado entrar em contato com observadores internacionais e com a imprensa brasileira para denunciar a censura do presidente Cháves. “Eu bem que percebi que eles estavam demorando demais pra postar”, afirmou Rofolfo Viunana, da ONG Maledicência Brasil.

Ontem, depois de tentativas frustradas de invadir o prédio da RCTV em Caracas! – rebatizada de Tebes, Televisão Bolivariana da Verdade – um dos editores tomou uma medida desesperada e arriscada: resolveu solicitar uma nova senha por e-mail. “O incrível é que funcionou”, afirmou alguém durante a festa realizada na nova sede virtual do site.

Depois de superada a ressaca, os editores recomeçam a reconstrução do site, que na ausência de acessos sofreu ataques de vândalos que trocaram toda a acentuação do site por misteriosos símbolos “çã” e “í”. Em comunicado oficial, a equipe lamentou o semestre perdido e afirmou que em breve retomará a periodicidade normal com publicações quadrimestrais.

2 comentários:

Anônimo disse...

!Viva la Republicación!

annie disse...

Viva! Hahaha!