segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Planalto baixa pacote econômico

Cortes chegam a 20%; oposição demonstra receio

A filhota do ministro apóia as medidas do pai

O pai da filhota

DA REPORTAGEM LOCAL

Preocupadíssimo com a economia, o Planalto Central estabeleceu uma série de medidas para conter gastos. Trata-se de uma reengenharia administrativa para compensar as perdas com a não-aprovação da CPMF (Contribuição Para Mais Fanfarra).

O ministro econômico Pão Comântega detalhou com exclusividade à Primeira Vítima as principais ações. Uma delas é a diminuição de cinco para quatro gotas de adoçante no cafezinho da rapaziada. “Só aí teremos uma redução de 20%”, exaltou o ministro.

Outra ótima medida é a exigência de se fechar a porta em recinto com ar condicionado. “Embora seja extremamente agradável receber aquele arzinho gelado quando a gente passa diante de uma porta, isso de tem mudar”, ponderou Comântega.

O Planalto também exigirá que se apague a luz depois do fim do expediente. “O pessoal passa em frente ao Palácio ou à Esplanada e acha que a galera está trabalhando até tarde. Magina. Eles pensam que a gente é workaholic?”, indignou-se.

A área administrativa também contribuirá para a contenção de gastos. O uso dos post-it, por exemplo, será racionalizado. “As duas faces do papelzito deverão ser utilizadas”, ressaltou Pão. A Primeira Vítima questionou se essa medida se estenderia à utilização do papel higiênico. O ministro foi enfático: “Num força!”.

Oposição temerosa
A oposição demonstrou receio com as medidas. O temor é de que elas sejam adotadas nos outros três poderes: Legislativo, Judiciário e Midiático. “Os poderes são independentes entre si... [É isso mesmo, né? perguntou a um assessor, que confirmou]. Então, não tem essa”, expressou-se Artur Virgulino (PSDBr-AM).

Já as entidades mais importantes deste país manifestaram apreço pelo pacote. “O governo dá o exemplo. É isso que queríamos”, bocejou Paul Stafa, presidente da Fiespi (Federação das Infantilidades de São Paulo e Interior).

A CNId (Confederação Nacional dos Idiotas) também ressaltou as medidas. “O governo dá o exemplo. É isso que queríamos”, afirmou o presidente da entidade que não quis se identificar. A CUTr (Central Única dos Truta) foi na mesma direção: “O governo dá o exemplo. É isso que queríamos”, acrescentou um dirigente.

Apoio familiar
O ministro econômico recebeu importante apoio ao anunciar as medidas. A filhota, atriz e modelo Mary Comântega decidiu cortar o números de peças de roupa que utiliza no dia-a-dia. “A família é a base da sociedade, e devemos apoiar nossos pais”, filosofou.

Outro lado
A Primeira Vítima nega veementemente que faça uso de imagens sensuais para aumentar a já elevada audiência do noticioso. O primeiro lugar em acesso deve-se tão-somente ao fazer jornalístico de seus abnegados profissionais.

3 comentários:

Oito disse...

Hilário! Um dos melhores do ano!

LÚCIO LOPES disse...

Muito boa!

E Ex/Semi-gordota metida a top = ninguém merece!

Hahahaha...

Anônimo disse...

A filhota é boa!