terça-feira, 18 de outubro de 2005

Bem-humorado, Pecúnio conta piadas na festança dos 50 anos

De Cabobrinhas de Goiás, com familiares

O ex-trambiqueiro do Petê, Pecúnio Colares, comemorou 50 anos em grande estilo na fazenda da família em Cabobrinhas de Goiás. Há pouco considerado o centro das atenções no escândalo do mensalão, o pacato professor de matemática tem agora dias de sossego e promoveu uma festa para a parentada com direito a dez leitoas no espeto, três bois sem aftosa e água à vontade por cortesia da prefeitura.

Pecúnio estava especialmente descontraído durante a churrascada com a família. Em entrevista despojada à Primeira Vítima e ao Estádio do São Paulo, ele aproveitava para mexer nas suas unhas encravadas enquanto soltava uma seqüência de piadas de salão.

“O Lulla não sabia do mensallão”; e era uma gargalhada só dos parentes ao redor, que se refrescavam no jato do carro-pipa municipal. “E tem mais: o Disseu também não sabia”, e as risadas aumentavam. Pecúnio emplacou, em seguida, duas do presidente Lulla: “Ele disse lá pros portugueses que a febre aftosa está controlada no Brasil”. A galera vinha abaixo, vermelha de tanto rir. “E o Lulla ganhou um prêmio da FAO pela criação do Come Zero”. Nessa hora, até os jornalistas se engasgaram com os chistes de Pecúnio e também com tanta carne e cachaça.

Em respeito ao Manual de Redação, Deveres e Procedimentos d´A Primeira, a reportagem não aceitou a sobremesa do banquete, pois isso se configuraria abuso da função para obter alimentação supérflua. Mas não houve restrição ao almoço em si, necessidade básica do ser humano — ainda mais de graça.

Um comentário:

Ana Daltro disse...

Muito boa, hahaha!