quarta-feira, 12 de julho de 2006

Gerardo expõe seu plano para governar a Europa

Visita inclui conversas com líderes, aferição da gastronomia local e comprinhas em shoppings populares


O Gerardo, determinado e...



... orgulhoso de si mesmo


Por Olvídio Mor Horelhãns*

Depois de conquistar valiosos 2 pontos percentuais (passou de 2,5% para 4,5% das intenções de voto, segundo a última pesquisa eleitoral, cuja margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos, para cima ou para baixo e pros lados também), o ex-governador e futuro ex-candidato à Presidência Gerardo Aidemin se empolgou ainda mais e rumou para a Europa a fim de expor a dirigentes locais o seu plano de governo para comandar o continente.

Trata-se da mais nova estratégia de campanha do Gerardo - assim carinhosamente chamado pelos correligionários - para demonstrar trabalho. Agora, em nível mundial. “É um segundo passo”, murmurou um assessor. Esse traço peculiar do futuro ex-candidato à Presidência já havia sido identificado pel’A Primeira Vítima.

Em março deste ano, o noticioso estampou: “
Alquimim apresenta candidatura a presidente e, pasmem, já começa a governar”. Com a simpática linha-fina: “Logo após anúncio, futuro ex-governador de São Paulo pôs seu capacete, subiu num trator e foi recapear algumas estradas”. “O Gerardo não perde tempo”, orgulhou-se um outro assessor.

Na Europa
Já no desembarque, o Gerardo mostrou a que veio. “Falta fazer muita coisa aqui. Mas eu tenho a solução: trabalho, trabalho e trabalho”, alfinetou, referindo-se ao atraso institucional, financeiro-econômico e social da região. Aquele orgulhoso assessor rapidamente deu uma discreta cotovelada no Aidemin, frisando: “Isso é pra dizer láááááá no Brasil”.

Os principais caciques do partido negam que despacharam o Gerardo para o exterior numa tentativa de impedi-lo de prejudicar ainda mais a sua própria campanha. A Primeira apurou que a galera tá mentido, mas pede pra gente não dedurá pra num feri os sentimentos do Gerardo. “Ele muito sensível”, cochichou um ex-sociólogo e ex-presidente da República que pediu para não ser identificado.

Os compromissos do Gerardo são inúmeros. De acordo com agenda divulgada pela assessoria, ele visitará rapidamente líderes comunitários, percorrerá as principais padarias e mercearias (que é para não perder o ritmo, descreve o documento) e pretende movimentar a economia local, realizando singelas comprinhas em shoppings populares (para descontrair e fazer uma média com a patroa, finaliza a nota).

*Nota de enrolação: o repórter Olvídio Mor Horelhãns conhece a Europa a convite da Comitiva do Gerardo.

6 comentários:

annie disse...

Sensacional!!! Picolé na Europa, era só o que faltava. Trabalho, trabalho, trabalho! Hahahaha...

Anônimo disse...

SE A NOSSA SELEÇÃO TIVESSE A ALMA, PERSEVERANÇA, COMPETÊNCIA E VONTADE DE TRABALHAR DE GERARDO, TERÍAMOS VENCIDO A COPA!

Janis Jopli, promoter e comunicóloga geral disse...

Oi Olvídio, grande matéria!!! Um texto e um trabalho de apuração como poucos. Certamente vai ser referência no ideário da imprensa nacional!!!
Beijinho meigo.
ah.. e quando vc for fazer matéria na Europa e precisar de uma pessoa bem letrada, de discurso verborrágico acadêmico apurado (pós em Ciências Gerais, com linha de pesquisa em Ciências mais que generalizadas)pode me chamar....
:)

Anônimo disse...

Geraldo: longe dos olhos, longe do coração.

Marly disse...

O escritor do texto não sabe nem escrever o nome do candidato à Presidência do Brasil, que dirá emitir comentários tão "idiotas" sobre o Ex-Governador de São Paulo.
Vou votar no Lula, mas não posso deixar de achar ridícula a matéria sobre um homem politicamente correto e que foi "O Ministro dos Genéricos". Nossos idosos agradeçem o que o médico Geraldo Alckmin fez por eles.
Marly

Eduardo disse...

o Alquimin tambem é corrupto