quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Esmolas podem contribuir para efeito estufa

Estudo científico prova que sobrevivência e proliferação de pobres aumentam a emissão de gases

DA EDITORIA DE CIÊNCIAS

A revista (de ficção) científica Vê Já publicou um estudo que aponta a relação entre o aumento da população de miseráveis no mundo e a emissão de gases metano e carbônico, principais vilões do efeito estufa. Segundo o artigo “Pobres e o efeito estufa: precisamos acabar com isso!” – resultado de pesquisa do Instituto Tranqueira Neves patrocinada pela Banca Mundial – a emissões desses gases aumentou principalmente no período de explosão demográfica entre as populações mais miseráveis do mundo, a partir dos anos 50.

Mas nem tudo é catástrofe: os pesquisadores apontam que esse é um cenário reversível. “A comunidade internacional deve fazer um pacto para a redução dos fatores que colocam o meio ambiente em risco”, aponta Yokishama Bornhausen, da Universidade de Seul.

Segundo o pesquisador os governos precisam interromper as políticas de subsídio à proliferação dessas populações (como programas de transferência de renda e apoio neonatal em regiões carentes) e até mesmo controlar seus avanços (como as políticas de controle de natalidade tão bem sucedidas na Índia e China). “Cada centavo recebido em esmolas contribui para a emissão de gases estufa”.

Um comentário:

Paulinha disse...

Olha isso: http://nominimo.ig.com.br/notitia/servlet/newstorm.notitia.presentation.NavigationServlet?publicationCode=1&pageCode=21&textCode=24103&date=currentDate&contentType=html