terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Prefeitura proíbe verão em São Paulo

"Não podemos mais descaracterizar a terra da garoa com um clima praiano", afirmou o prefeito Quemssabe

Kassab inspeciona futura pista de ski na neve em Interlagos

DA REPORTAGEM NA MARGINAL


Os paulistanos que reclamam ultimamente das baixas temperaturas nesse atípico dezembro devem se preparar: o prefeito de São Paulo, Gisberto Quemssabe (BEM-SP), informou hoje que o verão está proibido nas áreas públicas da cidade de São Paulo entre dezembro e março do ano que vem. Em mais um esforço para aumentar a apreciação das características estéticas tradicionais da metrópole paulistana, o clima outonal será instituído em nove meses do ano, sendo os três restantes destinados ao inverno. Temperaturas acima de 12º C só serão autorizadas em espaços fechados.

“Os últimos três meses, quando eliminamos a primavera e prorrogamos o inverno, mostraram o quanto a cidade pode ficar ainda mais agradável e mais próxima da imagem que todos temos, de uma terra fria, úmida e cinza”, explicou Quemssabe. A recém batizada “Operação Cidade Fria” soma-se a “Operação Cidade Livre” que retirou todos os anúncios publicitários das ruas paulistanas. “Depois de recuperar sua tonalidade cinza original, só faltava garantir o acolhimento invernal típico de São Paulo”.

A terceira fase do programa, que torna obrigatória a garoa em dias úteis, na região do centro expandido, é a grande aposta de Quemssabe para a campanha eleitoral para a sua (re?)eleição em 2008.

A população paulistana, surpreendida com as baixas temperaturas em dezembro, está dividida: “Com o frio, teremos o único Natal brasileiro com neve, como nos filmes americanos”, opina a socialite Catarina Matarazzo. “Eu acho que eu perdi a minha montanha de chocolate... você viu a minha filha por aí?”, acredita Felpudo, morador de rua.

Desde meados de abril, a construtora Amargo Orrêa instala grandes ares condicionados em regiões estratégicas da cidade – o maior dele, no formato de uma... ponte... está quase pronto, na Marginal Pinheiros próximo à av. Jornazista Roberto Marinho. Até o dia 25 começarão também a funcionar os borrifadores de neve artificial no topo da estrutura. “A neve é totalmente orgânica, feita a partir dos dejetos químicos da usina de Traição”, explicou um dos técnicos da construtora.

Cinza, frio e anti-mendingo?
Após o término da coletiva em que anunciou o projeto, a assessoria de Quemssabe negou “veementemente” que a prorrogação do inverno paulistano seja uma nova etapa climática da “Operação Anti-mendingo” instalada pelo ex-prefeito Josué Cerro.

Um dos novos ar-condicionados que borrifarão garoa em São Paulo;
neve, somente no inverno, no Natal e no Dia da Consciência Negra

Um comentário:

Buch disse...

Mais uma prova de que a força econômica pode superar essa bullshit do aquecimento global.